Sobre minhas compras impulsivas

Sobre minhas compras impulsivas

Imagino que grande parte da população (principalmente na minha idade) sofre com essa coisinha chamada compras impulsivas. Para mim, são as que mais me irritam, já que foram impensadas (ou mal planejadas) e não preciso realmente delas.

E não é de hoje que elas acontecem. Um tempo atrás, falei aqui sobre algumas situações nas quais eu gasto dinheiro e depois me arrependo. Recebi alguns relatos falando sobre a identificação com determinado ponto – ou todos eles, inclusive – e posso dizer que não foi surpresa. Estamos bastante acostumados em consumir, consumir e consumir mais um pouco, e de uma forma automática.

Só que, no meu caso, há dois tipos de compra impulsiva:

Tipo 1. Aquela que acontece uma vez ou outra, como grande parte das citadas no post anterior.

Tipo 2. Aquela que acontece repetidamente, pois a considero baratinha. Ela até segue um padrão: custa na faixa dos R$20 (ou menos, obviamente). Se for comida, então, tchau dinheiro.

É claro que as compras impulsivas do segundo tipo são as mais perigosas – elas normalmente resultam em um grande nada que consumiu meu dinheiro. Então eu resolvi contabilizar o quanto eu gastei no último final de semana só em coisas relacionadas a comidas.

  • R$8 em um brownie, porque ele é maravilhoso (gigante e orgânico) e eu tenho um sério problema com brownies.
  • R$5,20 em uma empadinha de jaca, porque meu namorado queria outro salgado e ficou fazendo aquela birra de “não vou comprar só para mim”, então eu tinha que acompanhar.
  • R$5 em meio litro de caldo de cana (!!!), porque bateu muita vontade de tomar caldo de cana e eu cometi mais uma vez o erro do “tem só R$1 de diferença entre o de 300 ml e o de 500 ml.”
  • R$19,80 em uma sobremesa do Outback, porque acompanhei uma amiga e outra amiga dela e, mesmo não estando com fome, achei que seria estranho ficar sem pedir nada (duh!!).
  • R$23,90 em 48 comprimidos de antiácido, porque aparentemente meu corpo não suporta mais tanto lixo e, mesmo não tendo terminado a sobremesa, passei muito mal. E claro que eu peguei a maior embalagem disponível na farmácia para deixar em casa no caso de alguma visita precisar.

Mais de R$60 em coisas totalmente evitáveis. (Isso que não contei a parte do meu namorado.) E só não foi mais porque chegamos tarde em uma feira e nossas expositoras preferidas já tinham vendido todos os produtos.

Eu sei que uma média de pouco mais de R$30 por dia num final de semana não é um absurdo, mas fiz todas as principais refeições em casa. Eu gastaria em torno da mesma quantia almoçando fora, sem precisar cozinhar e limpar tudo depois. E é isso que me deixa culpada e um pouco ~triste.

Então eu decidi que vou ter que fazer aquela coisa chata de tomar nota de todas as minhas compras por um tempinho. Essas compras impulsivas baratinhas são realmente baratinhas, mas só quando são feitas em pequenas quantidades. Já imaginou seguir o padrão do fim de semana anterior e acabar gastando mais de R$3000 por ano em lanchinhos? Sem falar em todas as outras coisinhas como presilhas e canetas de todos os tipos e esmaltes que não vão ser usados e batons de cores idênticas e mais algumas suculentas para deixar em algum canto da casa.

Agora me digam, quem mais é culpado?

  • Dany

    Eu, Bruna!!
    Sou super culpada!
    Nessas besteirinhas que aparentemente são baratas é que meu cartão fecha sempre quase no limite.
    Mas eu vou melhorar! Preciso!

    bjO

    Dany
    Breshopping da Dany
    http://www.brechodanylins.com.br

    Bruna respondeu:

    Dany, é bem isso! Mas o primeiro passo é reconhecer o problema, né, então nós vamos melhorar, sim!! 🙂
    Beijos!

  • Oi, Bru! Eu também tô precisando pensar mil vezes antes de gastar com coisas fúteis! Sempre me arrependo de ter comprado algo impulsivamente, gente, é horrível!
    Tô pensando em começar a anotar tudo numa agendinha ou planilha mesmo pra poder controlar um pouco isso!

    Beijão, mariasabetudo

    Bruna respondeu:

    Oi, Sté! Começa a anotar, sim! Eu estou fazendo isso nos últimos tempos e tenho percebido uma melhora nessa coisas de comprar sem pensar direito, haha. É muito fácil esquecer nossos gastos “pequenos”, né?!
    Beijos!

  • Primeira vez aqui e devo dizer que seu blog é lindo e a forma que tu escreve é linda também. Mas sei como é essa coisa de compras impulsivas, mas pelo menos tu gastou essa grana quase toda em comida, é o unico jeito que nao deixa tanta dor na consciência né. Antes eu nao me sentia feliz se eu não comprasse pelo menos uma blusinha por dia, gastei meu salário em roupas e hoje em dia me seguro mais no dinheiro.

    http://www.agindodiferente.com

    Bruna respondeu:

    Que bom que você gostou do blog, fico muito feliz! Obrigada!! 🙂
    Quanto aos gastos, é isso mesmo. Pelo menos em comida que foi boa, já que quando não atende às expectativas eu fico bem triste, hahaha. O jeito é aprender a ter controle, né? Um dia a gente chega lá.
    Beijos!

  • Eu tenho esse problema em relação a comida, não posso ver um doce diferente que já quero e nem sempre é barato! Tipo o Brownie de R$8,00 hahahhahahha.

    Beijos
    http://orangelily.com.br/

    Bruna respondeu:

    Hahaha, exatamente! E meu namorado tem esse problema também, então imagina duas pessoas loucas por provar comidas que parecem ótimas? O dinheiro voa, hahaha.
    Beijos!

  • Estava comentando isso com uma amiga ontem, o meu problema não são as coisas que compra que tem boleto todo mês, esse eu consigo demarcar e manter em controle, mais são as coisas pequenas do dia-a-dia que está me levando a falência e são justamente essas que nunca lembro de marcar e quando vou ver gastei mais de 300,00 em besteira, geralmente como você citou com comidinhas na rua, ainda mais eu que moro sozinha então rs 😀

    http://www.sweetexpected.com.br/

    Bruna respondeu:

    Line, exatamente! Eu normalmente deixo um valor X pra gastar com qualquer coisa, então costumava pensar que meus gastos inconscientes não influenciavam nas minhas economias do mês (que já ficava reservada), só que, bom, se a gente gasta 300 reais com bobagens, quando precisarmos mesmo de uma coisa, esse dinheiro faz diferença, né? Não é fácil, hahaha.
    Beijos!

  • Bárbara Marques

    Também sou um bocadinho assim, já por isso é que evito andar com dinheiro e pago sempre tudo com cartão. Com dinheiro parece que gastamos mais rápido :p

    MY KIND OF JOY

    Bruna respondeu:

    Sabe que pra mim é assim também? Muita gente fala que não devemos usar o cartão, mas eu gasto bem menos assim também. Se tenho dinheiro em espécie e, principalmente, se forem notas pequenas, já era. 🙁
    Beijos!

  • nossa, eu também piro com o tanto de dinheiro que vai em coisa pequena e a gente nem vê 🙁 e aí vai estacionamento de shopping, um suquinho a mais…

    Bruna respondeu:

    Guria, estacionamento de shopping é uma desgraça mesmo! 🙁 Eu morava em Porto Alegre e estava bastante acostumada em passar no supermercado (lá tem em todos os shoppings) para comprar alguma coisa e validar o ticket do estacionamento. Mas agora, em Curitiba, isso não existe e acho ruim demais já começar o passeio com uns 10 reais a menos. Mas fazer o que, né?
    Beijos!

  • Eu sou bem controlada com meus gastos, pode se dizer que sou até um pouco pão dura, mas quando se trate desses lanchinhos, é o meu ponto fraco, sempre acabo gastando sem nem ao menos estar com fome kkk

    http://www.teoremademahlli.com.br/

    Bruna respondeu:

    O “sem nem ao menos estar com fome” me fez rir, já que é exatamente isso. Que coisa, né?! Pelo menos a gente segura nas outras pontas, hahaha. 🙂
    Beijos!

  • Genial, Bru! Postagem fundamental! É exatamente assim: temos comida em casa, mas vamos comer na rua… temos filme em casa, mas vamos no cinema – até quando é só ‘para ver se achamos algo por lá’… é claro que ir em um restaurante ou ir para a experiência de um cinema ou qualquer coisa do tipo (que seja “na rua”), é importante, é leitura de mundo, é algo inovador, é fundamental de ser aproveitado quando possível, mas fazemos isso mesmo quando a ‘coisa está apertada’ ou quando já fomos várias vezes em poucos dias… enfim, esquecemos o quanto isso tudo pesa no fim das contas. Adorei de montão!

    http://WWW.SEMQUASES.COM

    Bruna respondeu:

    Oi Vanessa! É isso mesmo que me incomoda: a gente está sempre fazendo essas coisas. E eu acho que, muitas vezes, se repetimos determinado programa, como um cinema, sem nem ao menos pensar, ele nem acaba sendo mais tão especial, sabe? Tem coisas que, quando entram no modo automático, perdem a magia. E é por isso que está sendo muito importante para mim refletir sobre todas as coisinhas pequenas do dia a dia.
    Beijos!

  • Nossa, como eu te entendo. Gasto muito com comida, maquiagens e roupas, estou me controlando agora e parei de comprar tudo. Menos a comida, que as vezes eu me rendo! A gente gasta muito atoa, mesmo sem poder. 🙁

    http://www.kailagarcia.com

    Bruna respondeu:

    Pois é, Kaila! E muita gente acaba tendo esse mesmo problema. Mas pontos pra nós que já reconhecemos o problema! Hahaha. 🙂
    Beijos!

  • Mulher essas pequenas compras quando vemos depois acabamos com quase todo nosso dinheiro. Eu já saio de casa com água e biscoito, porque caso eu tenha fome não preciso comprar tudo que ver pela frente.
    Eu amo comprar, porém não faço isso a muito tempo ($$), então priorizo as coisas que realmente preciso mesmo ter com urgência.
    Beijos e gostei do post 🙂

    http://www.ricknegreiros.com.br

    Bruna respondeu:

    Obrigada, Rick! Sabe que eu até saio com água e lanchinhos, mas tem vezes que nem isso basta? Tenho que desenvolver um outro sistema pessoal de controle de gastos, haha. Mas só de compartilhar aqui eu fico mais atenta. 🙂
    Beijos!

  • Nossa, muito eu! Principalmente com comida. Eu faço faculdade atrás de um shopping, toda vez que vou sair da aula, passo por dentro do shopping pra chegar até o ponto de ônibus, daí passo por dentro da Lojas Americanas e lá sempre tem promoção de alguma coisa né? A minha falha é sempre catar as moedinhas pra comprar a guloseima baratinha que tá em promoção. E eu coloquei na minha cabeça que toda vez que eu passar pela Americanas e o Pringles estiver em promoção, eu tenho que comprar, e da última vez sai com duas latas daquela batata. Foi necessário? Claro que não, mas eu fiz. No final do mês, sempre pego as notinhas que estão jogadas na minha bolsa e anoto em um caderninho de gastos tudo o que gastei pra somar no final, aí o saldo final é sempre gigante e eu fico pensando “Poderia ter gasto com algo nesse valor e que não fosse comida né?”. Era uma tortura quando eu estagiava, porque eu sempre gastava mais com as comidinhas e lanchinhos. Enfim, adorei o post!

    Bruna respondeu:

    Nossa, guria, a Americanas é um problema mesmo! No ano passado eu sempre tinha que passar por uma pra chegar no trabalho e as promoções acabavam comigo (era muito chocolate, hahaha). Pelo menos você já tem o hábito de anotar as coisas, então eu imagino que aos poucos a gente vá aprendendo a pensar melhor na hora de comprar. Vamos torcer, haha. 🙂
    Beijos!

  • o duro é isso né, por uma coisa estar na promoção ou ser baratinha é que a gente acha que vale a pena e acaba comprando mas se parar pra fazer as contas é um bom dinheiro que dava pra guardar!

    Bruna respondeu:

    Sim, exatamente! Quando o maior gasto está nas coisinhas pequenas é porque tem alguma coisa errada. 🙁 Mas aos poucos a gente vai melhorando, hehehe.
    Beijos!

  • Ai estou despressiva.
    No meu caso, odeio gastar comida meu negócio é roupa sapato e doce ( que na verdade é um alimento) kkk.
    Fui no Shopping ontem e gastei quase 600,00 , eu ganho bem mais não vejo a cor do meu salário porque gasto demais e não consigo parar.
    SOCORROOOOO

    Bruna respondeu:

    Dizem que nossa saúde financeira depende mais de como a gente gasta do que de quanto a gente ganha, né? Mas é MUITO rápido pra gastar qualquer quantia, até porque eu tenho a impressão de que tudo está caro. 🙁 Tomara que, com o tempo, a gente consiga se controlar melhor! Boa sorte aí, hahaha. 🙂
    Beijos!

  • Eu sou culpada também 😀 Principalmente com comida. Antes eu me arrependia, mas daí percebi que quando me “arrependo” é passageiro e volta. Então não me culpo mais, contanto que na próxima eu faça melhor. Para o restante até que sou planejada. Sempre me questiono se preciso realmente e, normalmente, a resposta é não.

    Bruna respondeu:

    Patricia, eu adorei a forma com a qual você encara a coisa. É fato que podemos melhorar sempre, e nos culpar por algo que já aconteceu (e que, convenhamos, nem comprometeu muita coisa) não faz sentido. Vou seguir seu exemplo e praticar a coisa dessa forma, hehe. 🙂
    Beijos!

  • Bruna, adorei o seu post. Eu saí de um super emprego há mais de um ano, e até hoje sofro por conta das compras impulsivas… Eu não as faço mais, porém a vontade de fazer… nossa é grande demais. Antes eu comprava exatamente da forma que você descreveu, sem pensar. Era algo tão normal, automático. Afinal, por que passar vontade se o dinheiro tava dando, né? Mas olha, vou dizer que por conta desse péssimo hábito hoje eu sofro muito. Claro, não me falta nada, mas vou te dizer que os impulsos insistem em aparecer e é complicado racionalizar… Mesmo quando o saldo bancário é bem racional kkk… Mas tem o ‘dinheiro de plástico’ né? Aiaiaiiii é complicado… Tive que recorrer a medidas drásticas, como cortar cartões e pedir ajuda do marido, para fazer o papel de chato… Mas aos poucos eu tenho conseguido e o melhor, não me endividei! Beijinhos… Au Revoir!

    Bruna respondeu:

    Guria, é bem isso que você falou! Eu também nunca me endividei, mas mais por eu ser boa em guardar dinheiro (aquela parte reservada todo mês e que nunca mexo), visto que eu estou me achando péssima no quesito “gastar dinheiro”. Meio confuso, né? Eu estou firme nessa coisa de anotar tudo e tentar gastar o que tenho pra gastar de uma forma mais consciente, mas não é fácil quando a coisa já está tão impregnada. Vamos torcer pro sofrimento acabar alguma hora, hahaha. 🙂
    Beijos!

  • Bem vinda ao meu mundo! hahahhah eu também sempre gasto com muita besteira e a maior delas, é comida. Experimenta anotar tudo num papel e vê o quanto dá pra economizar.
    beeijos

    http://www.marinaalessandra.com

    Bruna respondeu:

    Hahaha que coisa, né? Eu comecei a anotar TUDO logo depois desse post porque queria ver o tamanho do estrago no fim de um mês. 🙁 Mas, pelo menos, tá dando certo pra controlar (sem passar fome e ainda comendo coisas boas, haha).
    Beijos!

  • Oi Bruna, tudo bem? =)
    Gostei bastante do post e nos faz refletir muito sobre essas compras que fazemos…
    As vezes compro no impulso também, mas já melhorei muuuuito!
    Hoje tento me segurar e compro só o que estou precisando mesmo e já faz um tempinho que não gasto com comida fora de casa hehe

    Amore, tem post novo lá no blog, te convido a vir conferir! =)

    Beijos
    Amanda Z.
    http://www.diariodelooks.com

    Bruna respondeu:

    Oi Amanda! Verdade, está sendo bem importante para mim prestar mais atenção nessas coisinhas. Que bom que você está conseguindo controlar aí! Sobra mais pra aproveitar as coisas, né? Haha. 🙂
    Beijos!

  • Eu até que me controlo bastante hahaha > http://www.seteprimaveras.com

    Bruna respondeu:

    Hahaha, isso é ótimo, Gabs! Um dia vou conseguir também. 🙂
    Bejos

  • Natália

    Menina, comida é o que consome mais o meu dinheiro e eu dou sem pena!
    Adoro comer. kkk
    Economizo em tudo, mas em comida não. Vai que eu morro amanhã e passo a tomar sopinha insossa até nascer de novo? (sou kardecista)

    Beijos!

    Chiquereza

    Bruna respondeu:

    Hahaha, você está certa! Eu fico tentando controlar meus gastos em comida porque exagero, sabe? E o que me dói é pagar caro em coisa ruim (acontece). As boas, tipo o brownie, bom, ganham meu dinheiro toda semana, hahaha.
    Beijos!

  • Adorei o post, muito verdade… A gente fala tipo “ah vou comprar isso aqui, é baratinho, então ta ok”… De pouco a pouco a gente gasta uma grana boa e desnecessária! Beijão Bruna.