Coisas que pagamos a mais por sermos mulheres

Coisas que pagamos a mais por sermos mulheres

Eu estou em uma fase da vida em que os convites de formatura estão sendo substituídos por convites de casamento. (E, gente, dá para acreditar que algumas datas coincidem? Minha sorte.) Como para mim é algo relativamente novo – eu era criança no último casamento que fui (risos) –, tive que parar para pensar em como me preparar para tudo isso, já que essa coisa de ter amigos em várias cidades diferentes exige um certo planejamento para não ficar com a corda no pescoço.

Comecei a pensar nas coisas que me custam dinheiro em eventos do tipo: vestido, cabelo, maquiagem, unhas, deslocamento, presente. Vocês, amigas, sabem que a conta disso tudo pode ser bem altinha, né?! E pode dar um trabalhão também. Não é injusto, então, pensar que meu namorado só precisa tomar banho normalmente, colocar o mesmo terno de sempre e ir para a celebração?

Eu sei, eu sei, se eu quiser, posso usar um vestido que já tenho, arrumar o cabelo em casa e fazer a minha própria maquiagem, mas, mesmo ignorando o fato de eu ser terrível nisso tudo, de qualquer forma, eu gasto mais tempo e recursos (como as maquiagens que eu preciso, previamente, ter).

E eu sei também que, se eu quiser, posso só tomar um banho e ir de cara limpa. Sei que tem homens que se arrumam muito melhor que mulheres – e gastam mais que a gente também. Só que, aqui, eu vou ignorar essas possibilidades porque elas fogem muito do meu mundo e da minha realidade.

O fato é que, por algum motivo, meus gastos pessoais sempre acabam sendo maiores do que os gastos do meu namorado. Será que isso se dá por eu te o hábito de gastar a mais ou simplesmente por eu ser mulher? Considerando que nós dois temos gostos semelhantes para entretenimento e alimentação (o que, basicamente, resume a minha vida), eu aposto na segunda opção.

Então eu parei para pensar no nosso dia a dia para analisar as diferenças.

blog-moderando-coisas-que-pagamos-a-mais-por-sermos-mulheres-cuidados-pessoais-1

1. Rotina diária de cuidados pessoais.

Por aqui, a única coisa compartilhada é o gel dental.

Mas, então, eu cuido do meu rosto (sabonete, esfoliante, tônico, hidratante) com produtos relativamente caros, apesar de durarem muito. Como eu estou sempre na missão de “ter a pele linda” – mentira, é preguiça mesmo –, eu pulo a maquiagem. Eu até tive que jogar fora várias coisas vencidas esses dias. (Fiquei com UM batom e ele é tudo o que tenho no momento. Me ajudem.) De qualquer forma, a maioria das mulheres que eu conheço usa maquiagem diariamente e nós sabemos o quão caras elas podem ser. Meu namorado pula tudo isso, já que, para ele, basta água e qualquer sabonete que estiver disponível.

Aí, migas, tem o cabelo. Esses dias tivemos uma pequena discussão aqui porque o Fe comentou que usa o sabonete que fica no box para lavar os cabelos. O sabonete que eu uso para lavar meus pés! E ele me disse que não quer usar meu shampoo porque é caro e, para ele, não faz diferença, mas ele tem uma barra grandinha de shampoo sólido guardada (só usa quando está viajando a trabalho). Então eu vou considerar esse shampoo sólido de R$ 19,90 e comparar com minha dupla de shampoo+condicionador de R$ 99,80, que duram menos (porque eu uso) e mais o eventual óleo de coco para hidratar. Eu também preciso ter um secador de cabelos e um produto para o frizz. Já posso começar a chorar? (De novo, gente, estou ignorando as poucas exceções.)

Durante o banho, também, vocês já sabem que o Fe tente a usar o sabonete que fica no box (inicialmente pensado para os pés). Mas ele também usa um gel de banho, para ser justa. Só que nunca usa esfoliantes e hidratantes.

Para desodorante, usamos o mesmo, pois é em barra e, dessa forma, cortamos pedaços aos poucos (cada um com o seu). Os perfumes não são os mesmos, mas, como são perfumes sólidos e da mesma marca, empatamos nos custos.

E, tudo bem, ele tem a barba para fazer, mas eu tenho uma área do corpo bem maior para depilar. Continuo em desvantagem, heh.

Encontrei um vídeo da Glamour abordando praticamente o mesmo assunto. Ele acaba mostrando que, mesmo todos nós tendo hábitos e rotinas diferentes, parece que quem sempre tem coisas a mais a fazer é a mulher. Para quem quiser assistir, deixo ele aqui embaixo.

2. Cortes de cabelo.

Esse item da lista me deixa louca. O Fe foi cortar o cabelo há alguns dias e pagou 40 reais. Conversando com o mesmo profissional, perguntei quanto ficaria para mim – eu queria apenas dar uma ajeitada nas pontas e ainda levaria os meus produtos (sou dessas). 60 reais.

Além disso, o tempo do corte do Fe normalmente é o dobro do tempo do meu, já que eu tenho cabelo sobrando e, como mencionei, na maior parte das vezes só quero tirar as pontas feias. De qualquer forma, meu corte é sempre mais caro. É assim aqui em Curitiba, era assim em Porto Alegre, em Cerro Largo e em Toronto.

3. Procedimentos de beleza.

Nem preciso comentar, né? Já falei que adoro cremes hidratantes e esfoliantes, por exemplo – e preciso ter produtos específicos para o rosto e para o corpo (e, ok, também para os lábios). E aí tem os esmaltes, ou, ainda, os serviços de manicure e pedicure. Tem também a depilação. Tem a sobrancelha. E tem vários procedimentos que, apesar de eu, particularmente, não usar, sei que movimentam muito a economia: peelings, drenagens linfáticas, massagens modeladoras, aplicações de botox e tantas outras coisas que nem faço ideia da existência.

Mais uma vez: sei que não é regra e que o público masculino que utiliza tais serviços está crescendo, mas quem é que recebe maior pressão da sociedade? É só ler comentários em uma matéria sobre uma mulher que deixou de se depilar.

blog-moderando-coisas-que-pagamos-a-mais-por-sermos-mulheres-maquiagem

4. Quaisquer coisas relacionadas à menstruação.

Além dos absorventes, coloca-se nessa conta outros produtos que nos ajudam a encarar os dias mais chatos do mês. Remédios para cólica/dor de cabeça/acne, bolsas térmicas, novas calcinhas no caso de ‘probleminhas’, anticoncepcionais, etc. Por sorte, alguém já fez a conta por nós: uma pesquisa indicou que uma mulher pode gastar em torno de 18 mil dólares com a maldita menstruação durante a sua vida. Dezoito-mil. Já pensou?

Felizmente, nos últimos meses, meu gasto com isso é zero, já que não tenho tido mais dores de cabeça e porque introduzi na minha vida um produto maravilhoso chamado coletor menstrual. O investimento inicial pode parecer alto (comprei em uma promoção por algo em torno de 50 reais), mas, se você conseguir se acostumar, ele logo se paga. No meu caso, o pequeno se tornou meu melhor amigo para esses dias.

5. Peças íntimas.

Para começar, homens não usam sutiã, e sabemos que os mesmos podem ser extremamente caros – é algo que precisa ficar bem. (Lembro de ter lido que vale mais a pena gastar com o sutiã do que com uma blusa, pois se o sutiã ficar marcado de forma errada, nem adianta você estar usando uma blusa bonita.)

Outra coisa que reparei foi que cuecas masculinas podem não ser tão baratinhas, mas se você investe em torno de 10 a 15 reais, elas duram muito bem. (Isso que o Fe só joga elas na máquina de lavar.)

E, bom, mulher não costuma querer peças que apenas durem, mas elas precisam ser bonitas também. Junte as duas coisas e uma compra pode sair por um preço bem altinho.

blog-moderando-coisas-que-pagamos-a-mais-por-sermos-mulheres-perfume

6. Versões destinadas ao público feminino.

Algumas pesquisas recentes mostram que a “versão feminina” de produtos custam, em média, 7% a mais que a versão destes mesmos produtos destinadas a homens. Como exemplo, tem-se as lâminas de barbear rosas, desodorantes e produtos para o cabelo, brinquedos infantis (!!) e roupas, de uma forma geral.

Apesar de alguns dados mostrarem que homens têm gastado mais dinheiro em roupas do que as mulheres, várias pesquisas indicam que um mesmo produto – ou uma mesma peça de roupa – custa mais se o público alvo é o feminino. Além disso, pesquisadores citam que características como o fato haver uma disponibilidade muito maior de itens para mulheres em lojas de fast fashion contribuam para tal resultado.

E vamos lembrar que o Fe usa sempre o mesmo terno em formaturas, casamentos e quaisquer outros ‘eventos sociais’, ao mesmo tempo em que pode parecer estranho nós, mulheres, usarmos o mesmo vestido nesses eventos com o mesmo grupo de amigos.

7. Acessórios.

Uns anos atrás, ouvi um conhecido falando mal de uma menina porque ela estava usando, naquele dia, a mesma bota da última semana. Oi?? No meu último emprego, tinha uma colega que ficou por dias “analisando o look da Bruna” porque ela achava interessante o fato de meu estilo ser diferente – eu adoro coturnos e tênis, e, como eu já contei aqui, ia caminhando para o trabalho e, desculpa, por mais confortável que uma sapatilha possa ser, eu acho mais fácil passar de 20 a 40 minutos caminhando com um Converse.

Já ouvi o namorado da minha amiga dizendo que “essa guria tem bolsas demais”. Já ouvi meu sogro dizendo que a esposa tem um armário só para os sapatos. Eu, particularmente, acho estranha essa tendência que muitas mulheres têm quando se trata de itens acessórios. É muito normal adorar comprar sapatos, bolsas, carteiras, brincos, pulseiras, capinhas de celular (!) e tantas outras coisas.

E, quando eu paro para pensar em todos os comentários que já ouvi (em relação a mim ou a outra pessoa), me sinto deslocada por não passar em uma loja no horário do almoço ou por não ler blogs de moda. Um comportamento do tipo é muito mais frequente, de novo, para mulheres.

8. Oportunidades.

Ainda hoje, o salário das mulheres é inferior ao salário de homens desempenhando a mesma função. Então, sim, além de gastarmos mais com muitas coisas que, inclusive, fogem do nosso alcance (não nos restando muita opção), muitas mulheres ficam em desvantagem simplesmente por serem mulheres.

Eu felizmente nunca senti tal diferença na pele, mas perguntas como “você pretende engravidar nos próximos três anos” me levam a acreditar que, bom, se um gravidez estivesse nos meus planos, eu talvez não conseguisse aquele emprego. Eu também ouvi comentários negativos quando uma colega largou tudo no meio do expediente porque o filho se machucou na escola.

E, na minha realidade, são poucos os amigos/familiares/conhecidos que eu sei que assumem ou auxiliam em afazeres doméstico e criação de filhos, por exemplo. Meu namorado me ajuda com o almoço, passa o aspirador de pó em casa e, às vezes, limpa o banheiro. Minha mãe também conta com a ajuda do meu pai para algumas coisas, mas não há dúvidas de que é ela quem faz a dinâmica da casa funcionar. Minha sogra faz 100% das tarefas sozinha. Nos almoços de domingo na casa do meu vô, as mulheres se juntam para lavar a louça e limpar a cozinha enquanto os homens permanecem sentados à mesa conversando e tomando cerveja. Em uma reportagem sobre desperdícios de alimentos que vi essa semana no Mais Você (ignorem), a mulher fez o almoço para o marido, os filhos e o pai enquanto eles ficaram na sala jogando videogame, e quando os profissionais foram dar dicas de como desperdiçar menos, a explicação foi dada unicamente à mulher (os marmanjos já estavam na sala novamente).

Então, tudo bem, alguns homens são, sim, diferentes. Muitos assumem sozinhos uma família. Mas, desculpa, não é o padrão. O padrão é que a iniciativa para tais tarefas seja atribuída a mulher.

Mesmo assim, as pessoas são rápidas ao ignorarem fatos quando alguns números de pesquisas são contestados. Não são poucas as vezes que precisamos ler que “nunca, na minha carreira, vi mulher ganhando menos que homem em um mesmo cargo” ou “me digam o porquê de a mulher poder se aposentar mais cedo sendo que a longevidade dela é maior”. Haja ânimo, hein.

Bom…

E mulher paga menos em algumas coisas também, claro. O seguro do carro normalmente é mais barato, visto que mulheres costumam ser mais cuidadosas (mérito de quem?). E, bom, tem também as chamadas de festas, “mulher paga menos” e blá blá blá, em que o desconto já foi atribuído a uma estratégia de encher o lugar de mulheres como iscas para atrair muitos homens pagantes. Nem vou falar mais nada.

Então, tudo bem, eu posso estar esquecendo de algumas coisas e pode haver diferença de casa para casa, ser para ser. Porém, na minha realidade e na realidade de amigas com quem conversei, o resultado foi esse aí. E, no fim, talvez tudo acabe sendo por cultura e achismos não contestados.

Qual a sua opinião?

Imagens: 1, 2, 3

  • Olá, tudo bem? Arrasou na postagem, concordo com você! Hahaha.

    Beijos,
    Duas Livreiras / Sorteio de 3 KITS

    Bruna respondeu:

    Obrigada, Larissa!

  • Eu li uma reportagem essa semana do preço de peças semelhantes de roupas p homens e mulherem em uma mesma loja custarem muito mais (as vezes o dobro!) adivinha para que publico? Sim, uma mesma camiseta branca (que a vezes tem até menos tecido) em uma mesma loja, mesma marca, custando bem mais p as mulheres.

    E nem me fala desses almoços nas vós e tias. Quero morrer toda vez que vejo as mulheres todas fazendo a comida e lavando a louça enquanto os bonitos só comem e conversam ¬¬’

    Bruna respondeu:

    Sabe que eu ainda fico com uma pulga na orelha quando leio sobre essas questões? Parece um absurdo que tal absurdo aconteça mesmo. Mas é isso mesmo. E bom, o fato de nossas famílias se comportarem da mesma forma é mais uma prova de que tudo isso é visto como normal ou padrão. Fico louca!

  • Bru, as entrelinhas dessa sua postagem são simplesmente enriquecedoras e incríveis como críticas que devem alargar reflexões diversas. São questões culturais? Sim. Mas até o estupro já foi considerado uma “questão cultural”, logo, ‘ser cultural’ não significa ser correto, significa que deve ser debatido com os possíveis e necessários respeitos, em caças para evoluções em que (justamente) os respeitos sejam mais alargados. Falamos tanto de direitos iguais, mas temos, comprovadamente, essas questões relacionadas a pagamentos no mercado de trabalho. Falamos tanto de igualdade, mas quando um homem investe em algo relacionado a maquiagem, a sociedade “cai matando” em cima dele de forma extremamente preconceituosa. A questão é que diversos desses produtos são separados entre ‘usos por gêneros’ por quesitos que não necessariamente devem ser levados em consideração. Afinal, uma mulher pode adorar investir em detalhes automobilísticos e um homem em quesitos para pele, cabelo e afins (não é?). São questões culturais que, mais do que ‘levarem mulheres a tais gastos’, acabam inibindo os homens (e vice-versa) de investimentos diferenciados por temores dos julgamentos. Essas inversões de culpas são tão absurdas e triste. E e incrível o quanto, até no momento em que as mulheres pagam menos, como você lembrou bem, isso não costuma ocorrer para benefício das mesmas e nem sequer de um mercado que deseja agradá-las, mas sim por uma tática machista, que visa “convidar” os homens a partir disso, continuando a enxergar seres humanos como ‘pedaços usáveis’. São questões assim que merecem demais esses tipos de discussões e que causam sempre mais gosto de mergulhar no Moderando. Você é sensacional!

    http://www.semquases.com

    Bruna respondeu:

    Sim, Vanessa! Seu complemento é muito verdadeiro e enriquecedor. É por todas essas questões que é fundamental refletirmos sobre a forma com a qual aceitamos e vemos tais situações. No fim, todo mundo sai sofrendo, e para quê? Não faz sentido. Mas eu tenho muita esperança de que, aos poucos, a gente consiga melhorar tais casos. Continuemos fazendo a nossa parte. ♥

  • Sobre os comentários, sempre vão comentar, haha. Se você tem roupa demais, vão comentar. Se usa a mesma roupa, vão comentar. O ideal é não ligar pra isso (sei que esse não é o foco da postagem).

    ✯ Instagram ✯✯ Fan Page ✯✯ Blog Diamante Turquesa ✯

    Bruna respondeu:

    Concordo, Rafael! E eu tenho melhorado muito nesse aspecto de não ligar e fazer o que me faz bem, independente do que pensem ou falem. Mas tem muita gente que sofre demais com isso e acho importante não esquecermos delas. Custa nada falar, né? 🙂 Beijos!

  • eu nunca parei pra pensar sobre isso, sabia? mas é verdade: custa caro ser mulher, apenas por ser mulher. E, se decidirmos chutar o balde e seguir os hábitos dos homens em muitas coisas, somos tomadas como desleixadas –‘
    a beleza dói… e é cara pra caramba ._.

    beijo
    beinghellz.com

    Bruna respondeu:

    Exatamente. E não é tão simples assim simplesmente ignorar algumas coisas, né? Complicado.
    Beijos!

  • Bru, cê falou tudo! Pagamos muito caro por sermos mulheres. Eu sou que nem você, não costumo me maquiar, apenas em festas, casamentos e afins, mas nunca resolvi levantar mais cedo para me maquiar e hoje em dia é tão difícil encontrar boas maquiagens com um custo acessível. Sou louca por esmaltes, mas tenho poucos, mas se eu pudesse eu iria toda semana a manicure, só me resta dinheiro! Seria um custo a mais que eu tiro das minhas prioridades.
    Enquanto via o vídeo pensei: “Eles gastam apenas com cueca!” e nós temos o sutiã que é um absurdo de caro e eu tenho tido muita dificuldade pra encontrar de boa qualidade que não seja tão absurda. As calcinhas sem comentários, eu adoro calcinhas de renda e delicadas e elas são o que? Extremamente caras e depois de três ou quatro idas a maquina já estão com a aparência péssima, enquanto meu namorado compra ótimas cuecas boxer na renner que duram uma eternidade!
    Eu vim de uma família nada tradicional e o meu irmão aprendeu a lavar, passar e cozinhar, enquanto nós estávamos na cozinha, ele estava também! Mas, meu namorado veio de uma família que é o oposto e quando ele está aqui em casa eu mando ele lavar a louça, porque eu não sou obrigada, eu já fiz a comida! Hunf haahha
    Adorei o texto!

    Beijão, mariasabetudo

    Bruna respondeu:

    Pois é, Sté! Essas são todas coisas que a gente sabe, mas que, mesmo assim, nos assustam quando pensamos a fundo sobre elas.
    E faz muito bem em mandar o namorado ajudar, hahaha. Aqui em casa já percebo uma boa melhora nesse aspecto. Nada mais justo, né? Hahah.
    Beijos!

  • Bru

    Nunca tinha comparado tudo assim, de uma vez haushaushs, adorei o post ♥
    com amor, Bru
    Mania de Bruna

    Bruna respondeu:

    Louco isso, ne? Heheh. Beijos!

  • Ai…Só li verdades, infelizmente….

    Bruna respondeu:

    Infelizmente! 🙁

  • ah sem dúvida, já pensei nisso algumas vezes também! é bem verdade 😉 Mulher é dose!

    https://letrendycharm.blogspot.pt/

    Bruna respondeu:

    Verdade, Diana.

  • Sem dúvidas, a gente sempre paga mais! O que é um absurdo né?!
    Mas mesmo com tudo isso, eu não me arrependo de ter nascido mulher <3

    Bruna respondeu:

    Eu também prefiro, viu. Mas ainda quero que algumas coisas melhorem, hehe. Beijos!

  • Muito bom seu post! Realmente, nós mulheres gastamos MUITO mais do que os homens!!
    E menina, você precisa comprar makes hahaha, um batom só? Como consegue viver assim??? HAHAHAH
    É foda essa vida de mulherzinha :/

    https://heyimwiththeband.blogspot.com.br/

    Bruna respondeu:

    Obrigada, Váh! E juro que vou providenciar algumas makes, hahahah. Beijos!

  • Que blog lindo e que texto bem escrito, é bem assim que acontece mesmo 🙁

    Bruna respondeu:

    Obrigada, Aline!

  • Sensacional a sua publicação e merece ser compartilhada.
    Infelizmente é uma verdade =/

    O pior é que as coisas são mais caras pra nós e o salário é muito desigual ..

    Bruna respondeu:

    Obrigada! ♥ E é bem isso mesmo, Clayci. 🙁

  • GENTE QUE POST É ESSE? Falou tudo lindona, mas assim eu pago mesmo e não reclamo não kkkk é obvio que por termos mais opções temos mais atrativos logo compramos mais kkk, amei o post!

    Beijão!

    Bruna respondeu:

    Hahaha eu também tenho consciência de tudo o que compro (e do porquê estou comprando), MAS tem muita coisa que poderia mudar, né?! Beijos

  • Não é porque é cultural quer dizer que é certo.
    Eu fico horrorizada quando para pra analisar tudo isso como a gente é colocada de forma inferior e como a gente gasta. Putz eu faço a maioria em casa, mas mesmo assim é muito trabalho e tem gasto da mesma forma.
    Claro tem as exceções, mas a maioria realmente somos nós mulheres que lidamos com tudo e fazemos trabalho em dobro. rs
    Beijos! Adorei seu post.
    Blog Pam Lepletier

    Bruna respondeu:

    Exatamente, Pâmela!!

  • Excelente post, e como gastamos viu? Seja com make, produtos dermatológicos, etc.
    E o homem gasta tão pouco… Injusto demais. haha
    Beijos. ♥

    Diário da Lady

    Bruna respondeu:

    Hahah, bem isso. Obrigada!!

  • Entendo completamente tudo isso que você pontuou no seu post. Estava pensando nisso ao sair com um amigo, compramos praticamente as mesmas coisas e eu gastei o dobro que ele. Até mesmo peças de roupas masculinas são mais baratas. Essa busca pelo minimalismo está me deixando louca, estou ansiosa por mais posts seus como aquele do “Sobre minhas contas impulsivas”. Preciso!! Beijinho

    Bruna respondeu:

    É uma loucura tudo isso, né?! E pode deixar que mais posts como aquele virão. Estou perdendo o ‘receio’ de falar sobre algumas coisas e tem sido muito legal me abrir a respeito de tudo isso, hahaha. Beijos!

  • Apenas verdades, gostei do post 😉
    Serve de alerta pra muita gente que não valoriza o que tem tbm 🙂
    bjoka http://diadebrilho.com

    Bruna respondeu:

    Verdade, Wanessa!
    Beijos!

  • Cara, muito bom o teu post. Às vezes é complicado ser mulher, né? É tanta coisa que a gente “tem que fazer” a mais e os gastos só dobram, triplicam e vão subindo cada vez mais… por mais que a gente tente fazer uma economia, sempre tem um gasto a mais, um tempo a mais investido. E esse teu post levanta tantas questões culturais que eu fico até perdida sem saber o que discutir. O fato é que essas discussões são muito importantes para a quebra de paradigmas. Acho que a questão crucial da tua postagem são as questões de envolvem gênero. Porque é necessário que a mulher esteja sempre maquiada, de cabelo milimetricamente feito, que compre produtos caros, que seus produtos básicos sejam mais caros, que seu simples conforto precise de tantos gastos? Ao mesmo tempo, porque quando querem encher as festas, o organizadores dão desconto ou até fazem esse esquema de “mulher free”? Essas questões precisam ser discutidas sim e precisamos entender o que se passa para, assim, começar a desconstruir esses paradigmas.

    Um beijo grande!
    Heeey, Maria! | Fanpage

    Bruna respondeu:

    Obrigada, Ray! ♥ E sim, precisamos falar MUITO sobre todas essas coisinhas. É o jeito pra melhorarmos, né?!
    Beijos

  • Que post mais top e completo! Adoro posts assim, me identifico <3
    Então, o que mais me irrita nesse âmbito é o fato de as mulheres ganharem menos e de alguns produtos que tem versão masculina e feminina (iguais, só com a cor diferente) serem mais caros para mulheres. Você deu o grande exemplo da lâmina, que meu! Pra quê ter uma cor de rosa? – que por sinal é uma porcaria e mais cara que as normais (masculinas). Como assim né? E poxa, esse desapego dos homens me dá até nervoso, meu namorado também é assim, por ele desde que faça sabão já ta ótimo pode ser até detergente – enquanto a gente tem até que uma pressãozinha de tudo quanto é loja e marketing para comprar de tudo – pior que eu amo coisas pra banho, amo mesmo, experimento um diferente por semana hahah. Mas ai como você lembrou, o povo julgador – ai a festa fica completa, pq se agt tem roupa demais é porque é gastadeira e se tem roupa de menos é desleixada – enquanto isso meu namorado repete a mesma blusa no final de semana e no meio da semana e ninguem liga ! Enfim, seu post vai ser compartilhado com muito amor no meu face <3
    Beijão!

    Bruna respondeu:

    Muito obrigada, Samira, fico feliz que tenha gostado! ♥
    E eu super te entendo nessa coisa de adorar esse tipo de produto e também pelo fato de ficarmos meio perdidas em alguns casos. É uma loucura, né?
    Beijos!

  • Realmente, Bru, a diferença chega a ser gritante. Eu realmente acho que é a segunda opção, por sermos mulheres gastamos mais. A sociedade também impõe muito o que devemos comprar, usar, gastar. O vídeo mostra os valores e eles são realmente altos demais, isso, que na minha opinião, muitos homens não gastam a quantidade que estava ali. É tudo muito caro, por querermos ficar de bem com a gente mesmo gastamos demais.
    Beijão,
    https://radioactivebookss.blogspot.com.br

    Bruna respondeu:

    Sim, Jéssica, exatamente! Que coisa, né?!

  • Ótimo texto. Estive lendo sobre isso há alguns dias e concordo plenamente, pois vivo isso diariamente!!!!!!!

    http://www.tatycamposblog.com/

    Bruna respondeu:

    Obrigada, Josi!

  • Nossa, eu lembro de quando eu comecei a ter uma série de festas de 15 anos para ir, tentava dar uma inovada no vestido novo que eu já tinha usado em uma festa, mas era praticamente impossível, e eu ficava pensando “Ah, não quero sair na foto com a mesma roupa que fui na festa anterior né” aí tentava pesquisar em lojas mais baratinhas e tentava incrementar com um salto diferente e coisa do tipo. A conclusão é que, de qualquer forma, eu comprava ou um sapato novo ou um vestido novo, ou seja, gastava de qualquer maneira né? Quando comecei a estagiar e ganhar meu próprio dinheiro, comecei a comprar meus próprios produtos de beleza, comecei a sentir na pele o que era gastar com produtos pessoais/produtos de beleza. Aqui em casa meu pai usa pra lavar o cabelo dele o sabonete em barra que eu uso pra lavar minhas calcinhas, quando eu descobri isso, eu ri demais! E ele ficou tipo “Não acredito” hahahahahahaha! Incrível esse vídeo da Glamour, porque é exatamente isso! Parece que é uma rotina simples pra gente, porque já estamos acostumadas, mas na verdade não é né? Nossa, nem me fale em corte de cabelo. O último corte de cabelo que eu gastei foi 50 reais, paguei chorando, mas o resultado foi bom e eu já esqueci desse dinheiro gasto, hahaha! É verdade isso que nós, mulheres, recebemos muita pressão da sociedade mesmo, principalmente em relação a beleza. Não vou mentir que sempre quis fazer aquele peeling de diamante que todo mundo diz que funciona e que é bom. Nossa, com 18 mil dólares dá pra fazer muita coisa né? Tipo uma viagem, haha! Verdade também sobre as peças íntimas, é difícil achar algo bom, barato e bonito né? E quando acha é o olho da cara 🙁 Isso das roupas e coisas em “versão feminina” ser mais caro, eu já percebo faz tempos e acho bem ruim isso. Tipo um casaco, um casaco feminino é caro e nem esquenta tanto, agora, vê um casaco masculino do mais baratinho que for, esquenta que é uma beleza. Você então é super eu também, eu ando uns 200m pra chegar até o ponto de ônibus mais próximo aqui de casa, então sempre opto por tênis e/ou botinhas, fora que não suja o pé né? Se tiver que passar por algum lugar com terra, melhor ainda estar de tênis e/ou coturno/bota. Olha, se eu tivesse dinheiro meeesmo, iria ter várias botinhas diferentes, porque tá aí um acessório que eu não me canso de inovar e comprar. Acho que deveria ser ao contrário isso do salário né? As mulheres deveriam ganhar mais, porque nós gastamos mais né? Adorei o post, Bru!

    Beijos!

    Bruna respondeu:

    Obrigada, Thami! Eu fico meio apavorada pelo fato que a gente acaba concordando em quase todas essas coisas, sabe? Eu queria que me dissessem que eu estou louca e o mundo é diferente, MAAAS não 🙁
    Pelo menos a gente tem essas histórias cômicas tipo a do uso compartilhado do sabonete pra coisas bem diferentes hahahaha!
    Beijos!

  • Gostei muito do seu post Bru
    A gente paga caro por ser mulher não apenas em cuidado pessoal, saúde e afins mas também em viver em uma sociedade que infelizmente ainda deixa muito a desejar, em colocar a mulher em um lugar mais baixo do que ela deveria estar. Mas acho q isso esta mudando viu, e cada vez cobramos a nossa voz e nossos direitos.
    Quanto as outras coisas hahahaha concordo em gênero numero e grau! A gente gasta o dobro, e deviamos ter alguma especie de “bônus” ou “auxilio financeiro” para isso. kkkkkkk
    Mas sabe do que mais? é claro que a gente passa tanto tempo se preocupando com a opinião alheia, que acho que seriamos mais felizes se a gente se cuidasse por nós e colocar a felicidade em 1 lugar, sempre né? rs

    Bjs e boa semana
    Pri
    http://www.styledchicas.blogspot.com.br

    Bruna respondeu:

    Sim, Pri! Antes de tudo é muito importante colocarmos nosso bem-estar em primeiro lugar. Só que, mesmo que tenha gente que não se incomode com a opinião dos outros, tem muitas outras que, mesmo sem querer, se deixam afetar por isso, e aí que tá o problema, né?
    E sim, eu também sinto uma mudança! Na minha realidade profissional, por exemplo, nunca fiquei prejudicada por ser mulher, e entendo que esse é um grande avanço. Mas acho bem legal continuarmos falando até que seja um absurdo falar que, em algum momento, a diferença existiu, hahaha.
    Beijos!

  • Menina, cheguei a essa mesma conclusão agora que comecei a ser convidada para ser madrinha de casamentos…afff é tudo muito mais caro e e complexo para nós mulheres, e é muito estressante ter que pensar em tudo, to até começando a pensar em negar ser madrinha na próxima hahaha

    Mas de fato, tudo para mulheres é mais caro e tem muito mais opções, acho que somos mais preocupadas com corpo, pele, cabelo e as marcas se aproveitam disso, é claro. Algumas vezes acho que é tudo culpa dos designers haha fazem cada embalagem linda, que as vezs só por isso a gente já sai comprando.

    Enfim, ando me policiando bem mais pra não cair nessas armadilhas e usando só o básico de cada produto essencial. Até que to indo bem viu?!

    beijo pessoal :*

    Bruna respondeu:

    SIM, Ana, bem isso! E eu sempre tento me controlar também, mas aí vem meu namorado falar que nunquinha precisa se controlar e fico meio louca pensando nas diferenças, hahahah.
    Beijos!

  • Bruna, eu tô absolutamente APAIXONADA por esse post. É realmente um absurdo tudo isso. Além da pressão que a gente tem pra estar sempre bonita, bem arrumada, não repetir roupa e coisa e tal, ganhamos menos. E aí, como é que faz pra arcar com esses custos? Muito complicado. Hoje eu ligo o foda-se em questão de roupa. Repito mesmo, faço make cagada em casa mesmo, e quem vem falar alguma coisa eu digo “é só começar a me comprar coisas que eu fico com cara de ryca”. Cabou comentário. Pela minhas costas falam mesmo, mas isso é inevitável, não é mesmo? Você mesma passou por isso ao preferir usar all-star (também prefiro).
    Eu até poderia escrever mais, mas acho que dizer que esse post foi a gota d’água pra te colocar no blogroll do Claramente Insana já é suficiente ♥
    Beijos!

    claramenteinsana.com

    Bruna respondeu:

    Duane, fiquei MUITO feliz com suas palavras. Muito obrigada por todo esse carinho! ♥
    E você tem toda a razão! Eu procuro não me incomodar com tais coisinhas no meu dia a dia, mas, ao mesmo tempo, acho fundamental que a gente fale (e fale bastante) de tudo isso para pelo menos causar um pouco de reflexão em algumas pessoas. 🙂
    Beijos!

  • Eu sou apaixonada por posts assim, principalmente quando são seus. Você aborda tão bem esse tipo de tema, agora que moro junto com meu namorado vejo o quanto ele gasta bem menos que eu, isso que ele gosta de fazer limpeza de pele, etc. É bem complicado! O pior é que além dos preços serem totalmente diferentes, além da mulher gastar bem mais o salário que nós recebemos não chega nem perto ao que os homens recebem.

    http://www.kailagarcia.com

    Bruna respondeu:

    Ai Kaila, fico muito feliz que você esteja gostando do que eu escrevo. Obrigada! <3
    E, sim, é bem isso que você disse, infelizmente.
    Beijos!

  • Dany

    Me identifiquei e muito com o seu texto.
    Em dezembro serei madrinha com o meu namorado, Já estou louca com o tanto de coisa que preciso me organizar e ele tranquilão! rsrs…
    Minha opinião? rsrs…
    O nosso bolso sempre sofre mais amiga! Não tem jeito!
    É aceitar para doer menos! rsrsrs…

    bjO

    Dany
    Breshopping da Dany
    http://www.brechodanylins.com.br

    Bruna respondeu:

    Hahaha, pois é, Dany, talvez eu seja inocente, mas eu ainda acredito que as coisas possam mudar, nem que seja um pouquinho só, ao nosso favor. 🙂

  • Bruna, AMEI sua reportagem! É de deixar a gente bem triste quando se mostra os gastos que a gente tem só por ser mulher! Já tinha visto a reportagem sobre os valores de produtos “para homem/para mulher” e na época me choquei, imagina agora que você colocou mais mil coisas para a gente pensar!
    Sempre comentei com meu namorado sobre o valor de cortar o cabelo… Enquanto ele paga 26 reais E ACHA CARO eu pago 80 e tenho que ficar “de boa”, porque o preço para mulher é mais caro mesmo ¬¬
    E nossa, almoços e jantares em família são tristes mesmo! Todas as mulheres da família na cozinha e os bonitos lá jogando video-game, conversando e bebendo!
    Ainda tem muita coisa para mudar nesse mundo…

    Um beijo! ♥

    Bruna respondeu:

    Oi Danielle! Muito obrigada pelas palavras, fico bem feliz! <3
    E sim, eu até fico um pouco desanima quando penso no tanto de coisa que ainda precisa mudar, mas, ao mesmo tempo, ao ler tantos comentários que seguem minha linha de pensamento, tenho esperanças de que ainda consigamos ver (e causar) mudanças significativas! Tomara, né?! 🙂
    Beijos!

  • Ai a gente paga mesmo nao e? E o mercado castiga pq sabe que nos precisamos de muito desses produtos e nao tem outro jeito.. bjs

    http://www.deboradahl.com

    Bruna respondeu:

    Claro, tudo já é pensado de acordo. 🙁

  • Olá,
    A diferença é gritante mesmo, algumas coisas como os produtos extras que usamos poderia justificar essa diferença, mas como você mesma disse, existem serviços iguais que são cobrados por preços diferentes. Isso me revolta um pouco.
    Beijos.
    Nasci Gabriela – http://www.nascigabriela.com.br

    Bruna respondeu:

    Idem, Gabi!

  • Oi Bruna, aqui em casa a realidade é bem parecida: eu acabo gastando mais do que o marido, simplesmente porque 1) eu uso mais produtos na minha rotina diária do que ele, 2) porque os produtos de uso semelhante acabam sendo mais caros para as mulheres do que para os homens. Mas, de maneira geral, a gente costuma ser bem consciente na hora de comprar: isso de pagar mais caro porque um produto é rosa, ou tem flores, ou tem fragrância docinha ~ essas “estratégias de marketing” para atrair o público feminino, mesmo tendo a mesma função que o masculino, não cola muito pra gente. Temos que ficar de olho sempre, né?

    Bruna respondeu:

    Sim, Camila, bem isso! Eu presto bastante atenção em todas essas coisas também e consumo muito pouco, se eu for comparar com a média. Só que, mesmo assim, essas diferenças chatas existem e acabam prejudicando todas nós (nem que seja ‘apenas’ na percepção da coisa toda). Uma loucura!

  • Oi Bruna, tudo bem?
    Muito interessante seu post! O título me chamou a atenção e o conteúdo então, nem se fala. Eu também acho que as mulheres gastam mais mesmo, isso porque, tudo (quase tudo) destinado ao público feminino é mais caro… Não sei porque é assim, não acho que deveria ser… Por exemplo, a questão do corte de cabelo que você citou… Na minha cidade, eu pagaria uns 40 reais ou mais para cortar SÓ as pontas do cabelo, tirar só um pouquinho do comprimento. Meu noivo paga, sei lá, uns 20 a 25 reais.
    Tive dois casamentos neste ano e nos dois fui madrinhas, quase morri do coração kkkk Morri de felicidade, claro, mas realmente, é uma continha alta se pararmos para pensar em todas as etapas destes momentos, que são tão importantes.
    Bruna, muito bom o seu post, parabéns!

    Tem post novo no blog amore, te convido a ir conferir! =)

    Beijos
    Amanda Z.
    http://www.diariodelooks.com

    Bruna respondeu:

    Oi Amanda! Muito obrigada, fico feliz que tenha gostado.
    O problema é a diferença do que nos é esperado, né? Mas claro que tais momentos são impagáveis! 🙂
    Beijos

  • Oi, tudo bom?
    Eu amei sua postagem, tão completa e bem detalhada e ela inteira só me faz pensar como as coisas são injustas né? Eu apesar de só cuidar da saúde e aparência, já é um tantão a mais que meu namorado… que teoricamente não precisa de muita coisa. Eu acho dificil ser mulher por N motivos, e um deles é sempre porque precisamos de mt mais dinheiro por causa de nossas necessidade e cuidados com nós mesmas. Além que temos absurdos, como a diferença de preço de roupas que são praticamente iguais… aiai naão dá mais não

    bjs, Carol | Espilotríssimo
    http://carolespilotro.com

    Bruna respondeu:

    Obrigada, Carol! E sim, tudo isso é muito louco, né?! Mas acredito que muito se pode melhorar se a gente debater sobre tais coisas com mais frequência. 🙂 Beijos!

  • Oi Bruna!
    Achei muito legal o jeito que você abordou esse assunto no blog.
    Fiquei lendo e refletindo aqui as diferenças entre eu e meu marido, e vi que ele não gasta quase nada. O shampoo ele compra um baratinho da Seda e ele acha bom demais.
    Mesmo se eles tivessem os mesmos cuidados de beleza que as mulheres, nunca seria igual, pois tem o fator das “coisas de mulher”, relacionados a menstruação e peças intimas, gente sutiã bom é caro pra caramba.
    Bem é isso, nós se ferremos nessa de gastos rs.

    Beijos

    Bruna respondeu:

    Sim, Camila, bem isso! E se ainda a coisa toda ficasse ‘apenas’ na questão dos gastos… 🙁
    Mas tenho a esperança de que as coisas melhorem!!
    Beijos

  • Que maravilhoso, esse é um dos poucos blogs que consigo ler o post inteiro, Bru seus textos são demais.
    Beijos ;*

    Bruna respondeu:

    Lanna, que elogio mais incrível! Fico muito feliz que você esteja gostando das coisas por aqui! Muito obrigada!! :*

  • Mulher acaba realmente gastando muito mais que os homens, as vezes nem percebemos por que acabam sendo pequenos detalhes que passam despercebido na rotina do dia a dia, mas se pararmos para contabilizar como no vídeo iremos perceber as diferenças. Realmente as diferenças não acabam só nos gastos, mas também nas oportunidades e em questões como a separação de tarefas entre um casal.

    Beijos

    onlyinspirations.blogspot.com.br

    Bruna respondeu:

    Verdade, gurias!

  • Eu acho impressionante que sempre que vejo alguma postagem sobre o “pink tax”, que é isso de a mulher pagar mais caro muitas vezes pelo exato mesmo produto que o homem, sempre tem um babaca que fala “ah, se o rosa é mais caro é só não comprar pela cor”, o que prova que a pessoa simplesmente não entende o motivo da discussão.
    Não entende que não é uma questão de cor, é uma questão de desigualdade mesmo. Isso sem contar que, por mais que as pessoas achem que não, muitas vezes as mulheres ainda recebem menos que os homens para fazer as mesmas funções.
    AMEI toda a discussão do post. Para as pessoas é muito fácil falar que é só “se libertar das amarras da sociedade”, mas viver a coisa é completamente diferente. Sem contar que é isso que você falou, quem “se liberta” acaba sofrendo as consequências, é só a mulher aparece com uns pelos na perna que NOSSA, parece que o mundo vai acabar.

    Bruna respondeu:

    SIM, Luly, exatamente! Eu fico louca com essas justificativas ou ‘reparos’ que nem consideram a origem do problema. É claro que a gente vai raciocinar e ir atrás da melhor solução possível, mas a questão toda é bem mais complexa, e até é por isso que eu ando sentindo tanta necessidade de falar a respeito.
    Obrigada por ter deixado sua opinião aqui também! <3

  • Yanna

    Nossa, como gastamos, né? Sempre soube que nosso gasto era maior, mas nunca tinha pensado para ver o quanto, realmente é uma grande diferença. Adorei esse vídeo, é muito bom mesmo.
    Amei seu post!
    Beijooos
    Yanna Karim

    Bruna respondeu:

    É uma loucura, né?
    Obrigada!! 🙂

  • Oi, tudo bom?
    Eu concordo em tudo! Ainda te digo, eu não gasto mais porque recebo das parcerias do blog alguns produtos.. E tem mês que chega uma avalanche.. ai consigo economizar.
    Mas fora isso, tem a esteticista, manicure, manutenção, corte, hidratação, maquiagem, tônico, oléo corporal, hidratante.. e etc
    E o mais engraçado, que nunca escolhemos os mais baratos não é? kkkk

    Adorei seu post, maravilhoso como sempre.
    Beijos

    Bruna respondeu:

    É mesmo, hahah! E olha que eu já estou há algum tempo “estudando” o custo-benefício de algumas coisas… Mas sempre tem TANTAS novidades! É brabo, hehe.
    Muito obrigada! <3

  • Cada vez que eu entro no teu blog saio com a minha opinião mais enriquecida. Nunca tinha parado para pensar o quão caro é ser mulher. A cada explicação tua, mais eu me encontrava. Que post maravilhoso! Parabéns!
    Ah! Vi que já morou em Porto Alegre, é gaúcha também? Um beijão!

    http://www.vivaessamoda.com.br

    Bruna respondeu:

    Oi Déborah! Obrigada pelas palavras! Fico muito feliz que você goste do nosso espaço. 🙂 E a ideia daqui é essa mesmo, que a gente reflita sobre as coisas que nos cercam e, aos poucos, consigamos melhorar um pouquinho que seja da nossa realidade.
    Eu sou gaúcha sim! Hehe, nasci em Cerro Largo, uma cidade pequena do noroeste, e fui fazer faculdade em Porto Alegre. Sinto muita falta do RS!! (Mesmo Curitiba sendo ótima, haha.)
    Beijão!

  • Oi Bru,

    esses tipos de reflexão muitas vezes passam despercebidos né? A gente nunca repara como as coisas destinadas as mulheres são realmente mais caras. E com a desigualdade salarial fica tão dificil manter o orçamento.

    Super beijo,

    Blog M de MustachePágina no FaceTwitterInsta

    Bruna respondeu:

    Sim, Gabi, é bem assim mesmo. Uma hora muda, espero! Hehe. Bjs!

  • eu entendo que, se for seguir o que a sociedade espera das mulheres – o que muitas mulheres acham que deveriam fazer -, vamos gastar mais, bem mais que os homens.
    mas ninguém é obrigada, então acho que a partir do momento que a gente se vê na livre escolha de aderir ou não aderir, é uma questão de repensar as prioridades, sabe?

    por exemplo, eu nunca fui muito ligada a essas coisas, e nos últimos anos tenho cortado mais ainda.
    antigamente eu usava base/corretivo/pó e etc, depois passei só para um bb cream. minha autoestima melhorou e hoje eu não uso nada. de maquiagem, só gasto com o rímel mesmo, porque acho cílios longos bonitos (questão de escolha minha, então não reclamo de gastar com isso).
    não uso nenhum produto de beleza “extra”. lavo o rosto com água (tiro o rímel só com ela também), no banho uso o sabonete igual ao que todo mundo usa aqui em casa.
    talvez meu gasto maior seja com o creme de cabelo pelo fato de meus cachos não ficarem muito definidos se eu simplesmente deixar secar (mas uso um que tem um preço bem ok). e esses dias andei cortando um pouco o cabelo pra ser menos trabalhoso de arrumar. (pago mais caro do que as outras pessoas por ir em um salão de beleza só para cabelos cacheados – que inclui no preço os produtos utilizados lá, voltados para a técnica low poo e tal. se fosse em um salão comum seria mais acessível.)
    sobrancelha e buço eu tiro com a pinça que a gente tem aqui em casa, e depilo pernas/axilas com o mesmo tipo de gilete que meu pai faz a barba. corto as unhas com o mesmo alicate e lixa que meu pai.

    pra festas sociais (que evito a todo custo) pego roupas emprestadas – e, repito mesmo -, além do rímel adiciono só um delineador e um batom (sempre os mesmos que já tenho aqui) e sigo em frente hahaha
    (não uso acessórios, não me sinto à vontade com coisas penduradas em mim.)

    sobre questões de menstruação e etc., graças à vida descobri e comprei o coletor no início do ano passado. pra cólica, a bolsa quente que eu uso ironicamente foi um presente da minha tia pro meu pai, pras dores que ele tava sentindo no joelho hahaha evito remédios, e quando eu tomo é ibuprofeno (que dá pra pegar em postos de saúde).
    meu sutiã favorito/mais confortável/que eu não tiro custou 18 reais. o outro que eu uso bastante também custou 20 no conjunto calcinha+sutiã. achei ambos em uma loja de uma mulher que fabrica roupas íntimas e biquínis e vende para atacado e varejo.

    um adendo: com isso não quero dizer que uma mulher tem que parar de usar as coisas. SE ela gosta, é escolha dela usar. assim como é uma escolha para os homens que gostam de cuidar da beleza e por aí vai, também.
    só achei que a maioria dos argumentos apontados me pareceu mais uma questão de preferência, não do tipo “mulheres PRECISAM gastar mais “. veja:

    “E, bom, mulher não costuma querer peças que apenas durem, mas elas precisam ser bonitas também.”
    “lâminas de barbear rosas”
    “pode parecer estranho nós, mulheres, usarmos o mesmo vestido”
    “novas calcinhas no caso de ‘probleminhas’” (quando minha menstruação passava na em que usei absorvente, eu lavava a calcinha no banho e ela voltava a ser nova)
    “eu tenho uma área do corpo bem maior para depilar” (apenas caso queira se depilar. se quiser dá pra se depilar com sabonete barato de supermercado também)
    “Já falei que adoro cremes hidratantes e esfoliantes, por exemplo – e preciso ter produtos específicos para o rosto e para o corpo”

    não me parecem coisas a mais que pagamos por sermos mulheres, coisas essenciais, porque provavelmente mulheres que têm menos dinheiro, ou que não se dão “luxos”, vão gastar a mesma coisa que os homens.

    só levantei esses pontos pra gerar uma reflexão, mesmo. não quero soar ofensiva, então espero que não leve meu comentário desse modo.

    a questão dos preços de roupas do mesmo tipo para homens e mulheres foi a que achei mais interessante e curiosa, vou até reparar mais quando eu passar em frente a lojas pra ver!

    Bruna respondeu:

    Sim, Fabíola, perfeitamente, eu concordo com tudo o que você falou. Inclusive, no início do texto, mencionei que eu poderia fazer muitas das coisas que citei de forma diferente e bem mais econômica (e eu particularmente faço), mas eu queria mesmo abordar e saber a opinião de outras pessoas quanto ao fato do que nos é ‘esperado’. E talvez fosse melhor eu ter mudado o título (pensei sobre isso, mas não gosto de editar um texto depois de pessoas já o terem lido e opinado sobre) para aproximar mais dessa outra questão, só que, no fim, eu vi que muitas meninas realmente enxergam tais coisas como necessárias. Sai um pouco da questão do gosto (como, no meu caso, pelos esfoliantes e hidratantes, que duram horrores), pois nem são pensadas. E, infelizmente, esse consumo todo é mais recorrente para mulheres, até pela questão da autoestima. Onde já se viu precisar ter coragem pra sair de casa sem maquiagem, por exemplo? Eu nunca usei no meu dia a dia, mas não foram poucas as vezes que um homem veio me dizer que achava ‘bacana’ eu não ligar pra ‘essas coisas’ (como se fosse a questão) e que mulheres falaram que eu era louca e precisava ‘ser mais mulher’. Claro que isso envolve outras questões relevantes, mas, pelo que vi, pode ser um bom pontapé inicial. E eu realmente estava torcendo para ver mais retornos como o seu, já que um dos propósito daqui é justamente refletir com opiniões diversas e aprender que certas coisas (quase todas as coisas) não precisam ser do jeito comum. Inclusive, eu agradeço muito por você ter dado a sua opinião, já que ela me atinge pessoalmente, pois sou desapegada, mas sofro um pouco internamente por me sentir deslocada (o que é bobagem, mas não é). 🙂

  • Caramba que post sensacional! Eu nunca parei pra pensar nisto… Mas na última que eu o namorado fomos numa perfumaria porque minhas coisas do cabelo estavam no fim, ele gastou 15 reais num shampoo novo eu gastei mais de 100 com meus cremes… Triste realidade né :/

    Beijos Bruna

    Bruna respondeu:

    Pois é, guria! E, por mais que nada disso seja realmente preciso, parece que a gente cresce inclinando para um mundo em que temos que nos cuidar mais, né? Sendo que ‘se cuidar mais’ fica relacionado com um maior número de produtos ou produtos mais caros. Uma loucura isso!
    Obrigada por ter lido! 🙂

  • Concordo com o que disse e até ri de algumas situações descritas.

    Agora, parar e pensar de fato no quanto a gente consome (dinheiro e tempo) no nosso dia a dia para nos cuidar foi algo que me fez pensar “caramba!”.
    Sempre penso nisso em épocas festivas, mas nunca no dia a dia, pois já se tornou algo natural…

    Adorei o post!
    Beijos mil, Bru!

  • Eu entendo seu pensamento. Eu tô quase comprando um terninho estilo Rory Giilmore (http://2.bp.blogspot.com/_7K5SToTPVQs/TILsalHzI6I/AAAAAAAAAhs/Mp7n2XkKt3s/s400/tumblr_kqrpgeIEwF1qzilz1o1_500.jpg) pra ir pra casamentos e formaturas. Eu vou em todas as festas praticamente com o mesmo vestido, o que me formei, mas é um saco pensar em cabelo, maquiagem…. encarar salto alto. AFF.

    Fora todo o resto que você falou, pele, cabelo… ai. E se a gente não faz NADA disso, a gente é “lésbica, sapatão, desleixada”

  • respondendo sua resposta: não se sinta deslocada! heheh às vezes podemos pensar que é estranho agirmos assim em meio a tanta gente que pensa diferente (não só nessa questão de aparência/estética), mas acho que quando a gente se conscientiza ficamos mais de bem com nós mesmas ao fazer esse tipo de escolha – e desenvolver melhor a autoestima ajuda muito também!
    um abraço! 🙂

  • Bru, adoro os seus posts, sério.
    Eu sou mega consumista, mas do modo saudável de ser HAHA ❤️

    Eu super me identifiquei com procedimentos de beleza. Acho que é onde gasto mais o meu dinheiro.

    Beijão

  • Milena Schabat

    Nossa, fiquei com tanta raiva após ler esse post! Não porque achei ruim, inclusive parabéns por ter feito algo tão, mas tão bom, viu?
    A raiva surgiu quando me senti castigada por ter nascido mulher. E eu amo ser mulher, o que me deixa com mais raiva e com uma sensação horrível de injustiça perpétua, sabe?
    Li alguns trechos pro meu namorado e ele, sinceramente, me pediu desculpas. Até perguntou se eu gostaria que, no próximo evento que a gente fosse, ele comprasse um terno novo haha
    Por que toda essa cagação de regra pra cima da gente e essa ignorância pros macho? Não entendo e nunca vou entender tamanha idiotice.

    Muuuuito obrigada por ter feito um post tão incrível! <3
    literarizandomomentos.blogspot.com