7 estratégias que adotei para acabar com a preguiça (também conhecida como procrastinação)

7 estratégias que adotei para acabar com a preguiça (também conhecida como procrastinação)

Talvez eu seja uma das pessoas desse mundo que mais procrastina. Desde a época em que me entendo por gente, enrolo demais para fazer algumas coisas. É difícil pensar em um dia no qual eu não tenha que me forçar a realizar determinada atividade, como limpar a caixa de e-mails, por exemplo. Procrastinei até na escrita do meu TCC – meu trabalho de campo estava pronto, mas era muito mais interessante ler quinhentos artigos a escrever o meu próprio, afinal de contas.E não estou exagerando. Seria capaz de passar mais uma tarde inteira capturando pokemón pelo Google Maps. Eu me distraio fácil. Eu me esqueço de tarefas chatas mais facilmente ainda. Eu me divirto “fazendo nada”. Minha sorte sempre foi que aprendo rápido e levo pouco tempo para fazer o que tem que ser feito (obrigada, Engenharia, por ter facilitado ainda mais a minha vida). Eu crio sistemas na minha cabeça até para lavar a louça e, plin, está pronto. O grande problema é quando, para tal tarefa, não há um prazo específico – o monstro do pânico não aparece (como mencionado neste TED) e eu acabo me prejudicando.

Só que eu já passei daquela fase em que adiar tarefas por preguiça é aceitável – oi, vida adulta! – e, por isso, leio muito sobre diferentes maneiras de evitar a procrastinação e fazer o que tem que ser feito, de preferência, no menor tempo possível. Além disso, com a minha rotina atual de não haver horários fixos para nenhuma das atividades do dia (inclusive atividades profissionais), ter disciplina se tornou algo fundamental. Comecei a prestar atenção nos meus hábitos e tentei diferentes abordagens e estratégias para deixar meus dias mais produtivos. Incorporei na minha rotina os que mais se adequaram à minha realidade de vida e estou satisfeita com meu progresso.

1. Regulei meu sono.

Meu rendimento depende muito do quão descansada eu estou. Os primeiros dias morando com meu namorado foram complicados nesse aspecto – íamos dormir muito tarde e, consequentemente, ignorávamos o despertador no dia seguinte. Minhas manhãs eram perdidas e isso fazia com que minhas tardes ficassem corridas. Estabeleci que até as 23h eu deveria estar pronta e deitada na cama. Com o tempo, esse horário passou a ser às 22h (meu limite atual). Tenho conseguido pegar no sono mais rápido e, ao proporcionar ao meu corpo o tempo de descanso que ele precisa, consegui uma melhora significativa no meu rendimento diário. Se você for uma daquelas pessoas mais ativas durante a madrugada, tente adequar seus horários de forma a garantir um tempo de descanso suficiente – para mim são oito horas de sono.

2. Inicio meu dia fazendo exercícios físicos.

A vida sedentária ficou no passado há algum tempo, mas até uns meses atrás eu costumava encaixar os exercícios físicos no período noturno. O problema é que, mesmo acordando cedo, eu demorava a engrenar de manhã, e, desta forma, continuava a sentir que meu tempo não estava sendo bem aproveitado. Depois de tanto ler relatos de outras pessoas sobre como elas simplesmente acordavam, se vestiam e, sem pensar em mais nada, começavam a se exercitar, resolvi tentar e posso dizer que foi uma das melhores decisões que tomei. Agora o relógio marca 9h e eu já corri, tomei meu café da manhã e estou de banho tomado. Um tempo atrás eu estaria ainda na cama.

3. Fiz do Google Agenda meu melhor amigo.

Por muito tempo fui um pouco resistente a adotar agendas virtuais, pois eu adoro papel, canetas coloridas e todos os itens imagináveis de papelaria e imaginava que não me acostumaria a não rabiscar alguma coisa. Só que, mesmo tendo um planner bonito, meu comprometimento com ele costumava durar no máximo duas semanas (depois disso, ele servia só para registrar coisas que já tinham acontecido). Eu precisava de algo mais prático e acessível de qualquer lugar (e meu celular sempre está comigo). O Google Agenda (ou Google Calendar, em inglês) foi minha salvação. Eu preenchi meus horários com compromissos profissionais, pessoais e hobbies – visto que uma parte é destinada às chamadas metas do dia, como “ligar para os pais” e “aprender outra língua”, ajustáveis automaticamente conforme os horários disponíveis em determinado dia. Com isso, caso eu siga adequadamente meu cronograma e realize as atividades, eu garanto também uma parcela do meu dia para coisas que me fazem bem, como praticar yoga e ler outro capítulo de um livro. É algo como “termine esta análise de uma vez por todas para que dê tempo de assistir ao novo episódio de Grey’s Anatomy, Bruna”. Funciona para mim.

4. Faço as atividades rápidas no momento em que elas aparecem.

Por que não arrumar a cama logo após sair dela? Bom, porque temos preguiça, mas eu garanto que essa preguiça aparece mais forte ainda se você tiver que fazer isso depois de outra atividade (experiência própria). Além disso, como é uma atividade que leva pouquíssimo tempo para ser finalizada, não há porque deixar para depois. Idem para retirar o lixo de casa. Idem para deletar os spams da caixa de e-mail. E idem para tantas outras coisas. Independente das atividades do seu dia a dia, eu garanto que há muita coisa que pode ser executada em menos de cinco minutos.

5. Peço ajuda para alguém.

Tem certas coisas que eu tendo a enrolar mais que o normal para fazer: cortar o cabelo, marcar consultas médicas de rotina, chamar alguém para arrumar algo em casa que não é urgente, etc. Quando eu conto para outra pessoa (normalmente para a minha mãe ou para o meu namorado), ela acaba me perguntando se eu já fiz tal coisa. Não custa nada para ela (pelo menos é o que me disseram) e acaba servindo como incentivo para que eu não postergue mais aquela tarefa, já que é chato admitir que enrolei para fazer alguma coisa mais uma vez.

6. Planejo o cardápio semanal com antecedência.

Em uma reclamação do meu namorado sobre como ele achava que estava sendo chato levar uma vida saudável porque era cansativo pensar em todas as refeições e no equilíbrio nutricional de cada uma delas, percebi que já tinha passado da hora de criar os tão falados cardápios semanais. De fato, pensar no almoço do dia na manhã deste mesmo dia estava fazendo com que a gente perdesse bastante tempo (basicamente a manhã inteira). Agora já dominamos o tempo de preparação e pensamos sobre nossas principais refeições um dia antes de ir às compras na feira. Mais organização, menos perda de tempo no dia a dia e, como bônus, maior a economia (como já falei neste post).

7. Recompenso meu bom desempenho.

Ok, você pode dizer que na verdade eu inventei uma desculpa para me presentear, mas a verdade é que eu acho importante valorizar o que é conquistado. Tudo bem que se parte do princípio de que não estamos fazendo mais do que nossa obrigação ao realizar as diversas tarefas do dia a dia, mas eu gosto de reconhecer que hoje eu estou melhor que ontem e que amanhã farei melhor que hoje. E é claro que eu posso ir ao cinema ou jantar fora sem ter motivo específico para isso, mas é muito mais legal sentir que fiz algo para merecer uma mini comemoração.

Imagem: 1

  • Nossa Bru, salvei seu post pra eu ler sempre que me der preguiça. E olha que eu preciso muito, viu!? Muitas dicas legais!
    Eu estou precisando muito mudar meus horários e começar a fazer exercícios físicos pela manhã! Pra mim é dificuldade muito grande porque sou muito noturna. Só consigo me concentrar bem em algo que preciso fazer mais na parte da tarde e, principalmente, a noite. É uma dificuldade quando acordo muito cedo, sinto que fico uma zumbi de manhã e acabo perdendo o dia inteiro sem conseguir me concentrar.
    A dica de fazer as atividades que são rápidas de fazer também funciona muito pra mim. Se é algo que não vou demorar nem 2 minutos eu faço na hora, é bom que não acumula.
    E essa da recompensa vou adotar pra ver se ajuda! ^^

    Beijinhos 🙂
    Bru Santos ❤
    http://www.queseame.com

    Bruna respondeu:

    Oi Bru! Que bom que você gostou! O engraçado disso tudo é que, ao mesmo tempo em que são coisas simples, elas também exigem certo esforço de nossa parte. Mas vale a pena, eu até estou me sentindo mais responsável hahaha. Espero que você encontre maneiras adequadas pro seu dia a dia! Considere até o fato de você ser uma pessoa noturna – o importante é termos consciência das tarefas e das porções do nosso dia. Mas eu super recomendo os exercícios físicos, se você sentir que demora pra engrenar, porque eles nos ajudam a “acordar”. 🙂
    Beijos ❤

  • Amei esse post! Suas dicas são maravilhosas. Eu amo esse assunto e também fico tentando criar algumas estratégias para vencer a preguiça haha E essa do Google Agenda vou adotar hoje mesmo!! Beijos

    http://motivesehoje.blogspot.com.br/

    Bruna respondeu:

    Oi Letícia! Que bom que gostou! Espero que tenha te ajudado nem que seja um pouquinho. 🙂 É muito bom sempre prestar atenção nessas coisas já que o dia passa voando quando a gente se distrai, né?! Complicado, hahaha. Beijos!

  • Eu amei as suas dicas!!
    Sempre comecei meus exercícios pela manhã para parar com a preguiça mas agora tive que ficar um tempo sem fazer 🙁
    Beijos
    BlogCarolNM
    FanPage

  • Boas dicas! Também gosto de fazer exercicios no começo do dia ;D

    Beijos,
    http://www.thalitamaia.com

  • Gostei muito, muito mesmo do seu post!
    Pequenas mudanças ajudam a criar grandes hábitos, não é?
    Estou tentando regular meus horários, dormir mais cedo, comer melhor, acho que com o tempo vou conseguindo 🙂
    Beijos
    BlogCarolNM
    FanPage

    Bruna respondeu:

    Sim, Carol! Vai conseguir, sim! Aos poucos a gente chega no ideal. 🙂

  • Sofro do mesmo problema, principalmente agora que estou desempregada, sinto que estou apenas co existindo, porque meu dia não rende.
    Me programo, mas chega na hora H, tudo fica atrasado e eu fico frustada.
    Gostei das suas dicas.
    Escritas de Verão