6 coisas nas quais sempre me arrependo de gastar dinheiro

6 coisas nas quais sempre me arrependo de gastar dinheiro

Quem nunca gastou dinheiro sem precisar? Tenho certeza que não há uma única pessoa que possa responder afirmativamente essa pergunta – a menos que nunca tenha realizado uma compra na vida. Mas por que fazemos isso? É tão difícil assim perceber na hora que aquele produto ou serviço não é realmente necessário? Parece que sim.

Costumo ser uma pessoa bastante controlada quanto a finanças. Meu dinheiro é suado, assim como o de meus pais. Nunca tive luxo, nunca me faltou nada, e assim vou vivendo. Mas eu tenho pensado com mais frequência no quão bem aproveitado é meu dinheiro. Mais ou menos como com os alimentos – o que eu estou ingerindo me proporciona bons nutrientes? O que eu gasto impacta positivamente na minha vida?

E então entro na parte dos meus maiores arrependimentos – aqueles gastos não necessários que, por algum motivo, acabam se repetindo. Tem gente que diz que, no momento que reconhecemos o problema, aumentam nossas chances de resolvê-lo. E, por isso, eu listei todas as coisas (produtos e serviços) nas quais sempre me arrependo de gastar dinheiro.

1. Peças de vestuário que não combinam comigo.

Lembram quando era moda usar aquelas calças listradas em branco e preto? Felizmente eu não gastei dinheiro com isso, mas foi só porque eu não gostava delas. O mesmo não pode ser dito sobre este tênis, que eu achei maravilhoso e comprei por 300 reais. Trezentos reais. Quantas vezes eu usei? Zero. 0. Nem mesmo uma vez, pois nem tudo que eu acho bonito combina comigo ou com as peças que eu costumo usar, e não tinha jeito de eu me sentir bem com ele. Depois de um tempo, aceitei a perda e consegui vender o tênis por 250 reais, mas ainda me dói. O mesmo serve para os vários vestidos que eu tenho escondidos no closet e que, também, nunca usei, porque, bom, eu não gosto de vestidos em mim.

2. Corridas de Uber/Táxi desnecessárias.

Com a chegada do Uber, meus deslizes neste quesito saem mais em conta, porém, em boa parte das vezes, eu poderia ter simplesmente caminhado, pego um ônibus ou nem mesmo ter saído. Eu tenho vontade de arrancar meus cabelos quando saio de casa num dia nublado com algum calçado que odeia chuva e, pois é, chove e sou ~obrigada~ a chamar um motorista. Ou então quando me atrasei para um compromisso. Ou ainda quando fiquei até mais tarde no trabalho e já está perigoso demais para andar sozinha pela cidade (valeu, Brasil). E claro que, no momento, eu nem sinto que vou gastar dinheiro porque meu cartão de crédito está cadastrado no aplicativo e tudo ocorre de forma automática. Até eu receber o e-mail informando o valor da corrida. É como falam, de dez em dez reais…

3. Compras realizadas por pressão.

Vocês acreditam que eu paguei 130 reais em um porta retrato? Bom, eu paguei. E não gosto de lembrar. Deixei para comprar um presente na última hora (momento de pressão 1) e entrei em uma loja cheia de vendedores que não paravam de me mostrar itens caros (momento de pressão 2). Eu já estava sentindo meu rosto arder quando, no meio de tanta coisa de mais de 300 reais, apareceu o tal porta retrato. Para que tudo acabasse logo, fiz a compra. Se fosse só essa compra, tudo bem, mas eu consigo lembrar de pelo menos mais três casos parecidos em que comprei coisas apenas porque sentia que tinha que justificar minha presença na loja. É sempre um arrependimento.

4. Coquetéis.

Acontece raramente, mas, quando acontece, no primeiro gole vira um arrependimento. Por que eu decido comprar uma margarita se eu não gosto de bebidas alcoólicas? Não tem problema algum em ser a única pessoa bebendo água. Sempre é um amigo que termina a margarita, de qualquer forma.

5. Porções extras.

Tenho certeza de que a maioria das pessoas também já se perdeu aqui. Sempre que estou com fome, preciso me policiar para não entrar na maldição do “quer a porção grande por mais dois reais?”. Eu acabo comprando a porção extra que no fim, se estou sozinha, vai para o lixo ou então me deixa cheia.

Dentro da mesma lógica, temos o famoso “leve três, pague dois”. Pacotes promocionais de sabonetes e peças de vestuário, por exemplo. Eu sempre paro para pensar se pode ser um negócio interessante. Na maioria das vezes não é.

6. Qualquer coisa que eu consiga fazer facilmente em casa.

Tempos atrás, comprei um vidrinho de 250g de pasta de avelã, castanha de caju, cacau e açúcar de coco (uma versão saudável de nutella) por 35 reais. A pasta era maravilhosa, só que eu já dominava a receita de pasta de amendoim (que é basicamente processar os amendoins torrados) e, quando me senti tentada a comprar mais uma vez a nutella saudável, disse para o meu namorado que devíamos comprar avelãs para tentar em casa. Os mesmos 250g saíram por menos de 15 reais e ficaram tão maravilhosos quanto os de 35 reais. Normalmente, quando compro coisas que sei reproduzir (seja comida, itens de decoração, etc.), é para apoiar o negócio, mas, às vezes, é bom apoiar meu próprio bolso primeiro.

É claro que há mais coisas que poderiam ser listadas aqui, mas essas seis realmente me incomodam. Espero que, da próxima vez em que eu me encontrar em uma situação de “perigo”, a lista martele na minha cabeça para me fazer ter consciência de onde estou me metendo.

Imagem: 1

  • Nossa, esse primeiro item da lista é o que mais me faz querer devolver a roupa e pegar o dinheiro de volta, hahaha! As vezes eu compro por impulso e quando chego em casa penso “Ok, pra quê eu comprei isso?” porque na real quando eu to comprando roupa, esqueço totalmente qual é o meu estilo, vario de boho para street e nunca me defino ao certo, hahaha! Ainda bem que isso do Uber ainda não aconteceu comigo, até porque uso com o cartão da minha mãe, então toda vez que vou usar, preciso pedir permissão, aí as vezes ela me segura e fala “Você pode ir de ônibus” ok, hahaha! Compras por pressão também é raro de acontecer comigo, mas quando acontece, fico bem arrependida. NOSSA, isso de coquetéis é MUITO eu! Tipo, eu não curto beber também, não sou acostumada, então me seguro ao máximo pra não comprar quando saio, normalmente é alguém que compra pra mim e/ou alguma amiga dividindo comigo, porque toda vez que compro, bate aquele arrependimento “Poderia ter comprado um hambúrguer com esse dinheiro que gastei” hahaha! As malditas porções extras “Senhora, gostaria de acrescentar um pouco mais de calda no seu sorvete por R$2,00?” aí pronto, já se foi meu dinheiro. Nossa, o 6º item é muito eu! Na hora eu penso “Pra que vou fazer isso se vende na loja tal?” aí eu compro e depois me decepciono “Poxa, fazendo em casa iria sair do jeito e tamanho que eu queria, nas cores que eu queria, e com o dinheiro que gastei poderia ter comprado outra coisa”, hahaha! Amei essa lista, porque me identifiquei bastante, hahaha!

    Beijos!

    Bruna respondeu:

    Guria, eu dei muita risada aqui lendo seu comentário porque seus exemplos para cada situação também são muito reais na minha vida. Não sei se fico feliz que você gostou da lista ou triste porque você também, às vezes, gasta dinheiro sem necessidade, hahaha. Mas talvez ao pensar um pouco mais sobre essas coisinhas a gente vai melhorando. 🙂
    Beijos

  • Sou a mesma coisa com as peças de roupas, principalmente quando são aquelas bem baratinhas e você compra várias? Só que nunca fica boa e você só fica com o guarda roupa cheio de coisas que você não vai usar…

    http://www.kailagarcia.com

    Bruna respondeu:

    Kaila, sim! É isso mesmo. E de pouquinho em pouquinho acabamos gastando uma quantidade significativa de dinheiro que definitivamente não se justifica. Agora eu to numa fase do tipo shopping ban (fujo das lojas hahaha) pra controlar e tentar começar a fazer compras mais conscientes. Veremos, né. 🙂
    Beijos!

  • Socorro! Faz tempo que não me identifico tanto assim com um post, Bru. Adorei me encontrar tanto em cada tópico. Ninguém entende quando eu digo que ‘não quero sair para comer de novo – duas vezes no mesmo dia’ ou algo assim, mas eu só acho mesmo válido sair para comer quando saio para fazer outras coisas, porque isso eu posso fazer em casa (ué!). Aqui em Salvador o UBER ainda está ganhando força e comecei a usar faz poucos dias, já deu uma aliviada no caso, mas seus pontos se encontram exatamente com o que penso. Adorei!

    http://WWW.SEMQUASES.COM

    Bruna respondeu:

    Oi Vanessa! Que bom que você se identificou… Ou não! Hahaha. Realmente deixamos algumas situações acontecerem mesmo sem fazer sentido algum, mas pelo menos a gente vai pensando sobre elas e melhorando as coisas aos pouquinhos. 🙂 O Uber, por exemplo, é um serviço que eu acho maravilhoso por ser muito em conta, só que, exatamente por isso, percebi que tenho que prestar atenção para não usá-lo apenas por ser baratinho. É cada coisa, né?!
    Obrigada por ter passado aqui. 🙂
    Beijos!

  • Nossa, me identifiquei com todos os itens! Hahaha

    Bruna respondeu:

    Júlia, não sei se isso é bom ou ruim hahaha. Pelo menos a gente tem consciência, né?! 🙂