Como se alimentar de forma saudável gastando pouco

Como se alimentar de forma saudável gastando pouco

Nos últimos meses, tenho visto inúmeras reportagens falando sobre como o preço de alguns alimentos tem aumentado – feijão, batata e leite estão entre as principais reclamações atuais. E se produtos básicos do nosso dia a dia estão caros, não é nenhuma surpresa que, quando eu digo que aqui em casa entra essencialmente produtos orgânicos, não refinados, sem leite (ufa) e tudo aquilo que temos visto mais e mais por aí, a primeira pergunta que me fazem é sobre o quanto gastamos com isso. “Bom, provavelmente menos que você.”

Por muito tempo eu também pensei que fosse caro me alimentar bem, até que, de tão cansada, fraca e doente o tempo todo, me vi obrigada a tentar. É claro que entrei em um mundo desconhecido, já que antes a salada sempre ficava no canto do prato. Acabei comprando muita coisa sem necessidade porque caí na armadilha da versão-saudável-sqn-de-produto-gordo, mas peguei o jeito quando aprendi a responder a segunda pergunta que me fazem – “eu como comida de verdade”.

Reuni algumas das atitudes que adotamos aqui em casa para que nossos gastos com alimentação sejam controlados e para que nossas refeições sejam bem variadas.

Compre tudo o que puder em feiras.

Todo sábado de manhã, pegamos nosso carrinho de feira e vamos para o Passeio Público fazer as compras da semana. Eu adoro olhar tudo, conhecer alimentos que até antes eu não sabia da existência e conversar com os feirantes. Aliás, vale negociar – muitos dos feirantes dão descontos por quantidade ou, principalmente, se você compra deles periodicamente. Conseguimos preços melhores que os praticados no supermercado; gastamos em média 60 reais para a semana toda.

Pesquise.

Sei que dá preguiça, mas pesquisar em diferentes locais pode fazer uma grande diferença na conta final. Eu sempre observo o preço dos alimentos que consumo onde quer que eu esteja. Lembre sempre que a comodidade tem um custo associado e saiba quando ela vale a pena.

Planeje o cardápio semanal e cozinhe em casa.

Montar um cardápio de refeições semanais, além de facilitar o dia a dia, traz economia de dinheiro. Aqui em casa, o planejamento é feito durante a semana (vamos anotando ideias de refeições) e finalizado na sexta para que possamos fazer a feira no sábado. Desta forma, podemos iniciar o preparo de alguns alimentos no fim de semana, deixando-os pré-prontos para alguns dias. Como bônus, temos refeições melhor equilibradas em termos de nutrientes.

Compre apenas o que você vai consumir.

Essa dica é quase uma extensão da anterior, visto que, tendo um cardápio, montamos uma lista que ficará fácil de seguir. Ao comprar só o que tem na lista, evitamos distrações e possíveis desperdícios de alimentos (e dinheiro).

Varie sempre.

Alimentos da estação são mais abundantes e baratos. Se o feijão estiver caro, dê chance para outras leguminosas. Há diversas opções dentro dos diferentes grupos de alimentos – há sempre como encontrar algo em conta.

Use seu congelador da melhor forma.

Eu não sou de estocar comida (para o horror da minha mãe), pois odeio desperdício – é comum esquecermos coisas na fruteira, afinal de contas. Meu pequeno congelador (de geladeira mesmo) sempre tem espaço disponível para congelar o abacate que está amadurecendo rápido demais ou a metade do pão de cereais que sabemos que não será consumida na semana.

Mantenha sua geladeira organizada.

Uma geladeira organizada faz com que você saiba o que está guardado dentro dela. Menos desperdício, mais economia.

Seja criativo.

Estou sempre procurando receitas que possibilitam o reaproveitamento de alimentos. Sabiam que podemos usar casca de banana em bolos? Que o arroz com feijão que sobrou do almoço podem se misturar a temperos e se transformar em bolinhos assados? Que a casca da abóbora é rica e podemos consumi-la? Você economizará bastante ao utilizar os alimentos por completo.

Não tenha preguiça.

Claro que é muito mais fácil almoçar fora todos os dias ou comprar no supermercado refeições pré-prontas que só precisam ser aquecidas antes do consumo para se ter uma janta rápida, porém, infelizmente, hábitos do tipo pesam no orçamento e tendem a não ser bons para nossa saúde. Mudanças de hábitos são complicadas, mas tente incorporar e adequar algumas das dicas no seu dia a dia, começando aos poucos. Quando bater a preguiça, ok, mas faça dela uma exceção, e não a regra.

Imagem: 1

  • Sheyla Valença Xavier

    Bruna
    Boas dicas, eu tenho tanta preguiça de cozinhar para mim, quando estou sozinha em casa ahahah Gostaria de ter uma feira livre aqui perto de casa. Eu estou fazendo isso , deixando umas porções já prontas, como frango desfiado e outras coisinhas mais, para ajudar na preparação das comidas.
    Beijos e um excelente dia!
    DMulheres@_sheylaxavierFanpage

    Bruna WB respondeu:

    Eu te entendo, Sheyla. Fiquei sozinha essa semana (meu namorado viajou a trabalho) e tive que me forçar a não pular refeições e não comprar fora, hahaha. Essas porções prontas ajudam muuuuito.
    Obrigada pela visita! Bjs