6 coisas nas quais me arrependo de não ter gastado dinheiro

6 coisas nas quais me arrependo de não ter gastado dinheiro

Não é novidade para vocês que eu, algumas vezes, me arrependo de gastar dinheiro. Costumava ficar pensando nas situações por dias, me culpando e jurando não as repetir. É claro que a promessa era difícil de ser cumprida, mas tudo bem. Entendi que a melhor coisa é aceitar o deslize, ter consciência de tudo e aprender com determinadas situações.

Por outro lado, eu gosto muito de guardar dinheiro. É até estranho, mas, quando tenho um tempinho para pensar se vou ou não gastar em alguma coisa, quase sempre opto por não gastar. Na maioria das vezes, uso inconscientemente aquela regra que muitos educadores financeiros tentam nos ensinar: “antes de comprar qualquer coisa, pense sobre ela por pelo menos 24 horas”. É fato que 99% dos meus arrependimentos de ter gastado dinheiro acontecem em situações nas quais eu não pensei direito. Além disso, normalmente chego à conclusão de que não quero tanto assim aquela coisa que estou pensando em adquirir.

Só que tem algumas coisas que deixei de fazer ou comprar (para não gastar dinheiro) que voltam ao meu pensamento mais vezes do que eu gostaria. E, num exercício de reflexão, decidi lista-las.

1. Show da Twin Forks.

Eu não sei dizer se gosto ou não da banda Twin Forks, mas eu posso afirmar que o Chris Carrabba é um dos artistas mais queridinhos da minha vida. Em 2013, eles passaram por Toronto (cidade na qual eu estava morando) e eu não fui porque era no dia anterior a uma viagem para Québec – achei que já estava gastando demais. O ingresso custava 17 dólares, o que dava menos de 40 reais na época. Ou seja, por menos de R$40 eu deixei de ver a apresentação de um artista que eu gosto e, também, desperdicei uma oportunidade de bater um papo com ele. (No Canadá, os fãs são menos loucos que aqui, então alguns artistas ficam por horas conversando com quem estiver por lá depois do show.) Nunca mais deixei de ir em algum show por causa de dinheiro.

2. Workshop de técnicas de panificação artesanal.

Vocês talvez já saibam que eu adoro inventar coisas na cozinha e que eu acho incrível chegar em bons resultados com uma certa limitação de ingredientes. Adoro também testar versões mais saudáveis para pratos do nosso dia a dia. (Uma vez levei tantos tipos diferentes de farinhas para a casa dos meus pais que o senhor que me ajudou com a mala perguntou se eu era a mulher do Yoki, heh.)

O curso em questão era de panificação sem glúten e sem lácteos e custava 188 reais. Nem lembro porque acabei não me inscrevendo, sendo que era a chance de ter essa aula de forma virtual, pois da forma presencial acontece só em São Paulo e custam bem mais. Até hoje espero que repitam o curso na modalidade à distância para eu finalmente aprender a fazer um pão francês vegano e sem glúten – que, à propósito, nunca vi para vender aqui em Curitiba.

Observação: já me perguntaram sobre minha alimentação por causa de um post antigo, então, respondendo: não sou vegana, nem celíaca, nem intolerante ou alérgica a qualquer coisa (que eu saiba), mas apenas uma admiradora e consumidora deste tipo de culinária.

3. Computador novo.

Até a última semana, eu estava usando meu velho e bom notebook de oito aninhos. Ele começou a dar alguns probleminhas há dois anos, como trancar algumas vezes e demorar para iniciar qualquer programa. Eu tinha jurado que ia comprar um novo para escrever meu TCC, no ano passado, mas acabei deixando a ideia de lado por dois motivos: 1) eu não sabia qual comprar (o meu antigo era um Sony Vaio que eu gostava tanto que queria da mesma marca, mas descobri que nem existiam mais), e 2) não queria gastar dinheiro sem necessidade.

A partir de junho desse ano, eu não conseguia ter mais paciência para a lerdeza do coitado e, gente, finalmente comprei um novo! Aliás, optei por comprar um computador mesmo, com a tela bem grande (!!!), estou muito feliz com tudo o que ele faz e não consigo parar de pensar em como eu perdi tempo para trocar. Nem imaginava o quão ruim o meu estava até começar a usar esse aqui.

4. Viagem para Chicago no ano passado.

Lá por maio do ano passado, encontrei passagens aéreas ridiculamente baratas para vários destinos nos Estados Unidos. Logo vi que tinha a possibilidade de ajeitar uma viagem de forma que eu pudesse ver a Warped Tour (um festival de música que eu sonho em ir desde os meus 14 anos) sem ficar prejudicada na faculdade e sem prejudicar cronogramas e projetos do meu emprego. Meu namorado logo se empolgou também, mas estava indeciso com as datas, já que a época ele estudava para concursos. Eu contei para a minha mãe e ela achou que não era momento de gastar dinheiro. Logo eu também estava achando que não era um bom momento para gastar dinheiro (estavam começando a falar muito sobre a crise). Não fui, meu namorado foi e eu morro de arrependimento até hoje. Logo juntei algumas vezes a mais do que eu teria gastado e fiquei sem as lembranças (e triste com meu namorado por ele ter ido sem mim).

5. Calça de moletom da Roots.

Não sei se vocês conhecem, mas a Roots é uma marca canadense cheia de coisas lindas e… caras. Como contei em outro post, eu comprei muita coisa extremamente barata quando morei em Toronto. Passei meu intercâmbio inteiro olhando para as meninas canadenses usando uma calça de moletom que eu queria muito e não comprei porque custava em torno de 50 dólares. Claro que fazendo a conversão pelo valor da moeda no momento nem fica tão caro assim (até porque eu tenho certeza de que usaria muito), mas, na época, não conseguia anular o fato de que eu comprava calças jeans na American Eagle por menos de 15 dólares. Nem preciso dizer que essa calça está no topo da minha wishlist para quando eu puder, finalmente, visitar aquele país maravilhoso de novo.

6. Coturno da Dr. Martens.

Eu acho este coturno a coisa mais linda e quero ele há uns cinco anos, pelo menos. Ainda não comprei porque acho ele um pouco carinho. É inviável, para mim, comprá-lo no Brasil – semana passada conferi o preço em uma loja aqui da cidade e quase desmaiei quando me disseram que custava R$1400. Mil e quatrocentos reais!!! No Canadá, saía por 120 dólares e eu já achava demais. Pedi para meu namorado procurar nos Estados Unidos (naquela viagem que perdi) e lembro de pensar em como eu não conseguiria gastar mais de R$500 em uma bota (o dólar já estava valendo mais de três reais). Eu entendo que muita gente – minhas amigas, por exemplo – compre botas mais caras que essa, mas eu não consigo. Não vejo o valor. Sou mão de vaca mesmo. Por isso, meu arrependimento acaba sendo de eu não a ter comprado em Toronto quando o dólar estava baixinho. (Apesar de que provavelmente eu teria comprado a versão em couro.)

E é isso. Seis coisinhas. Fora de ordem, claro, já que, no fundo, meus maiores arrependimentos acabam sendo sobre experiências que deixei viver. Eu pude comprar um computador novo agora. Talvez eu compre a calça e o coturno também. E, tudo bem, provavelmente eu tenha a chance de conversar com o Chris Carrabba qualquer dia e de fazer uma viagem com um festival em breve, mas estas foram as únicas coisas que eu não vou poder vivenciar da mesma forma. São experiências assim que eu tento não mais perder.

E vocês? Algum arrependimento? 🙂

Imagem: 1

  • Eu também não me arrependo de nada, e assim como você, o que eu mais amo fazer é viajar! Ta aí um dinheiro que eu gasto com o maior prazer rs ❤

    Blog Menina, surtei!
    http://www.MeninaSurtei.com

    Espero a sua visita no meu cantinho. Beijão!

    Bruna respondeu:

    Viajar é uma das melhores coisas do mundo né? Eu sou fascinada por conhecer lugares e culturas diferentes. 🙂
    Obrigada pela visita, Karla!
    Beijos

  • Amei seu post, e me arrependo de muitas coisas tb <3 but dont worry! its the life!!! Eu tb já morei em toronto, saudades de lá <3

    Bruna respondeu:

    Ai, como é bom encontrar pessoas que também escolheram aquela cidade linda pra passar um tempinho! Dá saudade mesmo né? :’)
    E, realmente, Thais, é a vida! Hahaha.
    Obri pela visita! 🙂
    Beijos

  • Vira e mexe eu me sinto assim, sabia? Sou mega consumista e pessoas que sofrem desse meu mal sabe como se sente quando acha que exagerou comprando aquela roupa ou aquele boneco colecionável Haha

    Adorei o seu post mais uma vez!❤

    Beijão.

    Bruna respondeu:

    Que bom que gostou, Vivi! ❤
    A gente faz cada uma né? Hahaha, mas até me divirto pensando nessas situações. 😀
    Beijos

  • Ainda bem que os arrependimentos por não ter gastado são bem menores né? Tirando o da oportunidade de não ter visto a banda/conversado com eles, os outros você consegue resolver ainda 😀

    Em geral eu fico com mais raiva dos meus gastos ‘sem necessidade’. aí não tem como voltar no tempo mesmo haha

    beeeijo

    Bruna respondeu:

    Sim, exatamente! Eu até me diverti pensando nesses momentos “mão de vaca” e, como você pode ver, são poucos, hahaha. MAAAS como eu quero chegar num equilíbrio nessa questão financeira, estou tentando observar todos os lados. Enquanto a gente não comprometer as coisas, tá tudo certo! Haha 🙂
    Beijos

  • Fernanda

    Olá Bruna,

    Me arrependo de ter desfrutado muito mais a minha estadia da Indonésia. Sabe quando eu poderei voltar para lá? Acho que nunca.. hahaha xD do restante seria mais roupas ou shows.

    Um beijo,

    http://www.purestyle.com.br

    Bruna respondeu:

    Oi Fernanda! Eu espero que você ainda possa voltar lá, mesmo tendo tantos lugares no mundo pra conhecer, né?! Eu super te entendo nessa questão. Tem oportunidades que são – ou ao menos parecem – únicas. Nas próximas vezes a gente melhora, hehe. 🙂
    Beijos

  • Não me arrependo nem um pouco de dinheiro gasto em viajar e em comida! Acho que se a gente não pode nem gastar com isso, vamos gastar com o que? hahahaha.
    Seus posts são sempre incríveis e cheios de criatividade, amo passar por aqui. ❤

    http://www.kailagarcia.com

    Bruna respondeu:

    Kaila, que bom que você gosta! Fiquei muito feliz com as suas palavras. ❤
    E, sabe, pra mim o dinheiro que menos dói também é o de viagens, comidas e, ainda, conforto e shows. A vida pra mim é bem mais feliz com isso, haha. 🙂
    Beijos

  • Adorei sua lista. Tô pensando em ir pro Canadá só pra iir em shows, haha.

    ✯ Instagram ✯♮​✯ Blog Eu Sendo Assim ✯✯ Fan Page ✯

    Bruna respondeu:

    Oi Rafael! É um país ótimo nessa questão de shows, mas também por TANTAS outras coisas! Sou suspeita para falar porque é meu país preferido, mas vá, sim! 🙂
    Beijos

  • Nossa, até hoje me arrependo de não ter comprado e segunda mão mesmo a pista premium do show da Britney Spears aqui no Brasil 🙁 fui na bilheteria e só tinha o da pista comum, comprei sem pensar 2x e tive que subir na grade no meio do show pra poder enxergar. Eu sempre quis ter um notebook, porque na verdade todos os que eu “ganhei” eram de segunda mão que meu pai consertava e me dava, mas não era 100% então sempre estragava de vez uns meses depois e parava de funcionar, então sempre quis ter um zerado pra chamar de meu, fora que pra levar para os lugares seria uma maravilha <3 Nossa, dói meu coração ver passagens baratas e não poder comprar porque não tenho nem passaporte </3 inclusive preciso agilizar isso, vira e mexe vejo passagens bem baratas com destinos para os Estados Unidos também, mas triste foi que seu namorado foi e você ficou né? Poxa 🙁 assim não vale, vida. Né? Hahaha! Não conhecia essa calça e moletom, mas agora já quero. Nossa, que coturno lindo! Acho que eu não pensaria duas vezes. Uma vez eu comprei uma de 200 reais e não pensei duas vezes, comprei e até hoje ela tá prestando. Diferente da outra que dei 60 reis nela e ela já tá fazendo uns barulhos estranhos tipo "nheco nheco" quando ando, hahahaha! Adorei o post! Me arrependo de muitas coisas, acho que seria até difícil listar, hahaha!

    Beijos!

    Bruna respondeu:

    Thami, eu comprei pista comum pro show do Linkin Park e, apesar de conseguir enxergar na maior parte do tempo, desde antes de começar eu já estava arrependida de não ter investido um pouco mais na premium (que, neste caso, ainda tinha). Mas ficou de lição, né?! Hahaha. Vê se agiliza esse passaporte sim, porque aí vai que apareça algo que sirva no seu orçamento e no seu tempo? Eu fiquei bem triste com meu namorado por um tempo, mas logo depois entendi que foi muito melhor ele não ter deixado de viver tantas experiências porque eu dei pra trás. Acho que eu estaria arrependida 2x, hahaha. O coturno é lindo mesmo né? Eu super concordo com você de que nessa coisa não vale muito a pena economizar, até pelo conforto. Acho que é mesmo com o tempo que a gente vai aprendendo e entendendo todas essas coisas, hahah. 🙂
    Beijos!

  • Adorei o post, ótimos investimentos mesmo..
    Beijo
    😉
    Blog| Instagram| Canal no Youtube|

    Bruna respondeu:

    Fico feliz que tenha gostado, Gessica. 🙂
    Beijos

  • Nossa, sabe que lendo esse teu post eu comecei a lembrar que algumas vezes também me arrependi de NÃO ter gasto dinheiro com alguma coisa…

    Por isso que a pouco tempo eu troquei meu celular sem dó. Kkkk.

    Beijo sua linda !

    | O Blog Que Não é Blog |

    | Instagram: @aquelenaoblog |

    | Julinha e os Vídeos – Canal do Youtube |

    Bruna respondeu:

    Hahaha, acontece, né? Tem coisas que a gente segura tanto pra comprar, mesmo precisando ou, ainda, querendo muito. Vai entender…
    Obrigada pela visita, Anna!
    Beijos

  • Oii Bru!
    Nossa… acredita que não veio nada na minha mente que eu possa ter me arrependido de não gastar???
    Com certeza uma roupa ou outra… sapato….. mas nada grandioso e específico!
    Acho que é um sinal de que eu realmente não precisava daquilo…hahaha
    Ou será que é um sinal de que eu gasto demais com tudo???
    Ihh… agora fiquei bolada…hahaha
    Bjooo

    Bruna respondeu:

    Hahahaha é uma boa pergunta, Tata. Mas eu acredito que, se não estiver comprometendo em outra parte da sua vida (como no orçamento e essas coisas), você está fazendo tudo certinho. 🙂
    Beijos!

  • Me arrependo de não ter gasto com muita coisa que achava caro em viagens e depois chegava no Brasil e via que era o dobro do valor hahaha
    Beijos
    BlogCarolNM
    FanPage

    Bruna respondeu:

    Isso é muito real, Carol! Nosso autocontrole exagera, por vezes, hahaha.
    Beijos

  • Muléé, não consigo me arrepender de nada que eu tenha gastado dinheiro, eu penso muito antes de comprar principalmente roupas sempre me pergunto o que vou fazer com aquilo daqui a uns anos se me surgir ideias de como posso aproveitar eu compro. <3
    . depoisdamoderacao.com

    Bruna respondeu:

    Guria, eu quero muito ser como você! Hahaha, estou aprendendo a manter um equilíbrio desses e é incrível como muita coisa tem mudado. 🙂
    Obrigada pela visita!
    Beijos

  • Dá raiva da gente quando não realizamos algo que queremos né? Já aconteceu cmg várias vzs isso de se arrepender e depois pagar mais caro. Ultimamente, guardo dinheiro e compro o que eu quero sem apressar as coisas heheh
    bjoka http://diadebrilho.com

    Bruna respondeu:

    Dá raiva, sim! Eu estou tentando fazer do mesmo jeito que você, mas ainda tenho que aprender a desapegar de uns pensamentos sem sentido, hahaha. Acho que vai indo naturalmente, né?! 🙂
    Beijos

  • Oi Bruna, tudo bem?
    Adorei o tema do post de hoje, sempre tem alguma coisa que a gente queria muito comprar e acaba deixando de lado né… E depois, se arrepende… =/ rsrs
    Também quero trocar de notebook, mas ainda estou “aguentando” com o meu, ele é novo , mas já está bem lerdo =/ Mas, ainda vou ficar com ele, até ele pifar kkk

    Amore, tem post novo lá no blog, te convido a vir conferir! =)

    Beijos
    Amanda Z.
    http://www.diariodelooks.com

    Bruna respondeu:

    Oi Amanda! Sempre acaba tendo mesmo, mas talvez por uma questão de a gente tentar pensar direitinho e não comprometer as coisas… Pode ser difícil mesmo tomar uma decisão. Sobre o notebook, já tentou formatar ele? Eu fiz algumas vezes com o meu e sempre melhorava bastante. Acabei trocando agora porque o coitado estava realmente precisando de um descanso, mas se o seu é novo, provavelmente ele ainda dá conta, hehe.
    Beijos

  • Bru, primeiramente preciso berrar para todos os cantos o quanto as suas singularidades me encantam. Você é maravilhosa! A cada novo comentário seu, a cada nova palavra que emite, a nova sensação que expele e causa, a cada nova troca evolutiva… sinto o quanto você é intensa, reflexiva, detalhista e impulsionadora para que mais olhos possam ser abertos de formas ímpares. E, então, lá vem você com mais uma introdução sensacional, já repleta de tencionamentos para que façamos indagações a nós, para que tenhamos densas releituras internas, para que mudemos minúcias no caminho (que acabam sendo pontos gigantescos) e para que possamos digerir dicas super bacanas, formulando-as nas nossas linhas. Fico já com coração sorrindo desde tal elaboração. E após, essa lista incrível. Lembrei de diversas situações em que gastei horrores em algo que poderia ter ‘segurado’ e outras tantas em que segurei enquanto poderia ter tido uma experiência incrível. Mas sabe o que combinei comigo? Nunca deixar de gastar (a não ser em casos extremos de necessidade e afins) com o que for acrescentar as minhas bagagens interiores. Uma viagem? Um show? Uma palestra? Um aparelho tecnológico que vai me dar mais praticidade para soltar criatividade? Um filme que passará no cinema e que quero experienciar com tantas emoções de pessoas diferentes por perto e não somente em casa? Tudo isso entra para a lista. E foi exatamente o que ratifiquei ainda mais lendo as suas pontuações. E aí, podemos também falar do quanto a noção de futilidade tem estado em prejulgamentos, colocada de formas tão errôneas. Afinal, se sei quais são as minhas prioridades, se o topo da minha lista é ajudar quem amo, é dar atenção aos meus objetivos mais âmagos e afins, se eu juntar dinheiro e usar uma parte para comparar uma calça bacana, o que há de futilidade nisso? A calça pode servir como tantas entrelinhas, não é mesmo? Pode ser aquilo que vai fazer com que eu descubra alguma curva a mais no meu corpo para valorizar, amplificando assim sorrisos internos… pode ser um meio de conforto para aquela situação em que ocorreu um mal-estar, pode ser a salvação naquele momento em que houve o escorregão literal e o machucado acabou sendo menor. Enfim, são detalhes que também podem fazer parte de uma alteração de humor, de histórias, e não por futilidades, mas pela presença que não anula o caráter de quem a agrega. São tantas vertentes a serem refletir a partir de cada tracinho que você trouxe! E isso é lindo demais! Obrigada por essa elaboração.

    http://www.semquases.com

    Bruna respondeu:

    Vanessa, eu fiquei tão feliz com seu comentário que nem sei como respondê-lo, heheh. Eu já te disse algumas vezes que amo suas palavras e que admiro muito sua vontade e sutileza em extrair reflexões, que tem o poder de nos impactar de forma positiva, das mais pequenas coisas e momentos. Eu estou tentando, aos poucos, incorporar tais coisas no meu dia a dia e, também, tirar lições valiosas de atitudes que tenho ou deixo de ter. O que você combinou consigo mesma é de extrema importância, e é o que eu procuro na minha vida também – até por isso trago tantas situações práticas no blog: eu preciso ter consciência de como levo minha vida e de que forma posso enriquecê-la. Essa troca que nos proporcionamos tem feito diferença. ❤
    Eu agradeço muito seu comentário e sua contribuição ao compartilhar seus pensamentos e experiências com a gente. 🙂
    Beijos

  • Eu amo viajar, durmo até dentro do carro para economizar, kk mas conhecer lugares novos é muito bom. Queria ter ido no show do Emblem3, mas fazer o que né. Agora só na próxima 🙂 Beijos

    Bruna respondeu:

    Conhecer novos lugares e nos proporcionarmos novas experiências é muito bom mesmo, Simone! Estou torcendo para que você tenha a chance de ver o Emblem3 – tenho uma amiga louca por eles e que também perdeu a oportunidade da última vez, mas na próxima o desfecho será outro, hahaha.
    Beijos

  • ~MOÇA DO YOKI~ UAHUAHAUHAUAH
    Me vi em várias situações! Com shows eu sou mais desapegada, eu sofro por dias pensando que não devo gastar aquele dinheiro, mas na hora eu abro mão e acabo indo (ainda bem, até porque, eu só curto música dos anos 80 e a galera está começando a vir a falecer…)

    Meu computador tem só 4 anos, mas acho que já está dando uns problemas incômodos, só não tenho coragem de trocar e vivo nesse medo constante dele me deixar na mão (olha a burrice!!!)

    Com a história da bota, estou aprendendo a desapegar um pouco. Já comprei muitas botas de 100 reais que não duraram nada, mas tenho duas de 250 que me acompanham há 4 invernos, tento focar nisso (mas que dá um desespero ver o valor no caixa, dá sim).

    Bruna respondeu:

    Vê se eu mereço? Estava morrendo pra carregar aquela coisa pesada e o moço acabou comigo, hahahaha.
    Mas pois é Nicas, a gente tem mesmo é que parar pra pensar com carinho nessas coisas e investir no que nos faz bem. Eu gasto uma quantia enorme em shows de uma forma geral (meu estilo acaba sendo bem específico), que quando aparece uma banda que me deixa em dúvidas, normalmente tomo a decisão errada. Você então que só curte música dos anos 80 nem tem o que pensar quando aparece a chance de ver os caras!
    Sobre o computador, não melhora formatando? Numa dessas ajuda. Agora se você fica com esse medo de que ele te deixe na mão seria bom dar uma atenção maior – é impressionante como a gente acaba dependente dessas coisas né? Eu fico inconformada até, hahaha.
    Beijos!

  • Nossa! Me fez refletir sobre muitas coisas… Eu penso 50x antes de comprar algo e o pior de tudo, tenho uma ”wishlist” no meu celular que está mais pra ”VOCÊ PRECISA COMPRAR ISSO” pois eu penso tanto se devo comprar ou não que só lembro que eu deveria ter comprado quando eu preciso, como o carregador portátil pra quando minha bateria acaba e onde estou não existe possibilidade de carregar.
    Essa da viagem pra Chicago, mulher, eu te esgano! Uma que eu adoro viajar e outra que junto com o boy? Eu iria mesmo.
    Eu vou viajar agora em outubro com ele, falei com minha mãe e ela disse a mesma coisa que a sua ”não é um bom momento”, mas pra viagem eu tenho sempre o mesmo script em mente ”se eu morrer vou morrer com vontade de ter ido e não vou saber como foi, então eu vou”… hahahah
    Outra coisa que não reluto pra gastar dinheiro é comida: GASTO COM MAIOR PRAZER, hahahahaha.
    Esse post me fez refletir, adorei. Beijão <3

    Bruna respondeu:

    Lou, que bom que você gostou! Hahahah me esgana não, eu juro que estou aprendendo! (Mas, sim, dói muito pensar que eu deixei de viver uma experiência incrível, snif.)
    Seu script é ótimo e eu fico muito feliz que vocês vão viajar loguinho – quero até acompanhar isso aí viu? Quem sabe surge um pontapé que eu preciso pra, no lugar de esperar uma nova oportunidade, criar uma? Hahaha.
    Obrigada por ter passado por aqui! 🙂
    Beijos

  • Não lembro de algo que deixei de gastar dinheiro…
    Mas R$1.400 em um coturno!!! Acho que nem se eu fosse muito rica eu teria coragem de gatar tanto dinheiro assim.
    Beijos

    Bruna respondeu:

    Pois é, Aline! Me dá um nervoso só de pensar – eu não consegui gastar os 120 dólares, imagina pagar o triplo? Não posso, hahaha. Aliás, tem muita coisa que eu acho que não pagaria os absurdos mesmo se eu fosse rica.
    Beijos

  • No momento não consigo lembra de nada,m nassempre acontece essas coisas. Na hora a pessoa não faz e depois acha que devia ter feito.
    🙂
    Um beijo!

    http://www.impulsofeminino.com

  • Oh mermã, tu acredita que eu sempre me arrependo de gastar meu dinheiro? Eu só gasto com comida kkkkkk As coisas melhores que compro são roupas, mas quase sempre penso em comprar comida, lanche e tals, depois que termino eu me arrependo. Acho difícil eu achar algo do qual não me arrependo, acho que só meus livros e roupas mesmo.

    Adorei o post.

    http://www.andressacmoraes.com/

  • Oi, Bruna!
    Nossa, que pena todos esses casos…
    Eu sinto muito por vc. Lamento demais vc não ter viajado para Chicago no ano passado, ainda mais com preços bacanas e com a companhia do seu namorado.
    Eu tenho uma situação parecida: comprei as passagens pra Miami e NY antes de tirar o visto. Depois fui tentar a aprovação e imagina só: foi negado! E agora estou no prejuízo pq já paguei por uma coisa que não vou usufruir… 🙁
    Mas eu gosto de pensar que tudo na vida tem um tempo certo e tudo acontece de acordo com a vontade de Deus. Se não deu dessa vez, não era pra ser, sabe? Às vezes não entendemos muitas coisas nas nossas vidas, mas Deus sabe sempre o que é melhor pra nós. =)

    Um beijo grande,
    http://helendutra.com/

  • Adorei o post e pelo visto foi um dinheiro bem gasto em tudo o que citou né? rs
    É bem difícil selecionar o que não me arrependo porque sempre valorizo tudo o que compro haha penso sempre 10x e isso me ajuda a não me arrepender, mas tudo o que tenho tipo de objetos pessoais são tão meus que parece parte do meu corpo haha
    Beijocas !
    ♡ Casal Be&Be ♡