5 maneiras de se exercitar de forma econômica (e sem ir para a academia)

5 maneiras de se exercitar de forma econômica (e sem ir para a academia)

No início do ano, tive uma crise de pânico e, a partir desse evento, comecei a sentir muitas dores de cabeça. Minha ansiedade tomou uma proporção assustadora e eu me senti travada para tudo, inclusive para mexer o corpo. Uma coisa levou a outra e, em uma das minhas inúmeras consultas, o neurologista sugeriu que minhas dores fossem características de uma cefaleia tensional. Fazia todo o sentido, claro, afinal, a ansiedade me deixa tensa, o que me deixa encolhida e faz com que eu fique parada o dia inteiro. Eu precisava me exercitar novamente.

Mas eu não me sentia confortável com a ideia de frequentar uma academia, tanto emocionalmente quanto financeiramente. Eu sou defensora da ideia de que não devemos economizar com o que melhora nossa saúde (afinal, além do fato de que se sentir bem é a melhor coisa do mundo, remédios provavelmente custarão mais), mas o lado emocional pesou bastante nesta questão. Eu precisava ser sincera comigo mesma e admitir que, não, academia não rolaria simplesmente por eu não me sentir preparada para recomeçar no meio de tantas pessoas. E eu tenho plena consciência de que precisamos superar nossos temores, mas, no momento, era exigir demais de mim. “Um passo de cada vez”, pensei.

Não é novidades que podemos (e devemos) utilizar a internet ao nosso favor. Dei uma olhada no que poderia ter a minha cara e encontrei muita coisa bacana. Compartilho agora com vocês o que funcionou para mim e espero que seja útil para qualquer pessoa que, no momento, não pode pagar por uma academia, ou mora longe da academia, ou não tem tempo para academia, ou simplesmente não gosta de academia. Ou tantas outras situações – cada um tem seu mundo.

(Nem preciso mencionar que é importante você consultar algum médico antes para ver se está tudo certinho com o seu corpo, e que você precisa respeitar seus limites, né? Devagar e sempre, povo.)

1. Yoga em casa.

Eu já falei aqui no Moderando que ter praticado yoga em casa por um semestre inteiro fez com que eu economizasse um valor significativo para a minha realidade, em que cada real tem feito a diferença. Meu antigo professor de yoga costumava dizer que todos nós podemos praticar, tendo em mente que é sempre muito importante respeitar as limitações do nosso corpo – algumas posições começarão um tanto tortas mesmo, mas é a prática e o tempo que farão com que você melhore. Existem vários canais no YouTube que ensinam direitinho como começar a praticar ou que disponibilizam aulas avançadas para que você pratique tranquilamente em casa no tempo que for possível. Para quem entende inglês, minha recomendação é o desafio de 30 dias da Erin Motz, uma pessoa linda que explica direitinho cada uma das coisas a serem feitas e mostra opções que vão de acordo com o nível que você está. Se você procurar por “yoga para iniciantes” no YouTube também encontrará muita coisa legal disponível em português.

2. Malhação no YouTube.

Ok, é fato que o YouTube facilita bastante a minha vida. Desde que um amigo me mostrou o canal Fitness Blender, também em inglês, muitos dos exercícios que eu sofria anteriormente para conseguir executar (simplesmente porque eu não sabia como colocá-los no meu cronograma) começaram a fazer parte do meu dia a dia. Para a maioria deles você nem precisa de qualquer coisa além de roupas confortáveis e um tênis adequado. Mais uma vez, existe muita coisa disponível em vídeos – basta você encontrar o que mais atende suas necessidades e se manter motivado.

3. Caminhar ou pedalar pela cidade.

Certo dia, eu abri o mapa de Curitiba e encontrei vários lugares que eu não conheço ou que eu fui a bastante tempo atrás. Também há lugares por aqui que eu adoro visitar sempre. Pois bem, por que ir até um parque de carro num sábado ensolarado quando eu posso muito bem usar minhas pernas ou então uma bicicleta? Eu adoro passar com mais calma pelas ruas e descobrir novos lugares. Anotei na minha agenda vários destinos, e sempre que São Pedro nos dá um final de semana bonito, eu e meu namorado saímos por aí colocando o corpo para mexer. Infelizmente, só posso fazer isso nos fins de semana, devido à agenda ~apertada durante a semana, mas está bom o bastante para mim.

4. Bambolear.

Prevejo minha irmã gargalhando com a dica, mas, desde que encontrei vários bambolês em uma das grandes lojas de artigos esportivos – vocês não acreditariam na quantidade de modelos disponíveis! –, não consegui parar de pensar que, bom, poderia ser uma forma divertida e diferente de movimentar o corpitcho. Já que eu preciso me atualizar toda semana nas minhas séries preferidas e, portanto, ficar algum tempinho na frente da televisão, melhor bamboleando do que co

mendo pipoca, não é? Não é totalmente de graça – você precisa do bambolê, mas ele é bem em conta. Nessa altura do post, nem preciso dizer que tem muita ideia bacana no YouTube de movimentos a serem feitos e danças que prometem queimar várias calorias (nada mal hein?).

5. Programas de treinamento no celular.

Há muitos aplicativos para celular disponíveis por aí: Freeletics, Sworkit, Kayla Itsines, Fitstadium e Nike Training Club, para citar alguns. Normalmente o melhor plano não sai de graça, mas custa muito menos que uma mensalidade de academia. Os aplicativos sugerem exercícios a serem realizados com base nos dados de entrada fornecidos por você – sua meta (saúde, fôlego, definição corporal) e seu estado atual (o quão ativo ou sedentário você é). Então, por favor, seja sincero para que não fique prejudicado (eu sei que às vezes achamos que podemos fazer mais, e tem situações em que podemos mesmo, mas lembre sempre da nota mental: devagar e sempre). Meu namorado usa o Freeletics há bastante tempo para treinamentos de alta intensidade e gosta bastante. Já eu prefiro séries voltadas para a flexibilidade. O bom é que tem de tudo – basta pesquisar e selecionar suas preferências.

Imagem: Unsplash

  • Aqueles vídeos de zumba que tem no Youtube ajuda demais quem quer se exercitar em casa.. adorei as dicas do post! 🙂

    http://www.kailagarcia.com

    Bruna respondeu:

    Boa ideia, Kaila! Sempre me falam de zumba, já que é algo que realmente vai movimentar bastante o corpo, mas eu confesso que nunca tentei. Vou testar! 🙂
    Beijos!

  • Adorei as dicas… Queria muito me exercitar em casa, mas eu sou aquele tipo de pessoa que não funciona sozinha. Eu vou tentar mais vezes, claro, mas eu tenho que ter um compromisso, eu preciso de alguém ali disposto para me ajudar a qualquer momento.
    O post ficou sensacional, vou tentar usar suas dicas para ver se me adapto, temporariamente até poder pagar uma academia.

    Pink is not Rose